Política

Geddel sobre cassação de Cunha: "Pagou o preço de suas atitudes"

Geddel comentou ainda a derrota avassaladora de Cunha, que por 450 votos a favor, apenas dez contrários e nove abstenções, os colegas cassaram seu mandato na noite desta segunda-feira (12). [Leia mais..]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira /Metropress

Por Milene Rios no dia 16 de Setembro de 2016 ⋅ 08:40

O agora ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que teve o mandato parlamentar cassado na Câmara na noite de segunda-feira (12), lamentou ter sido abandonado pelos correligionários e amigos políticos diante do seu afastamento, inclusive pelo presidente Michel Temer (PMDB). Mas durante discurso, demonstrou gratidão aos “leais”, como o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. Em entrevista à Rádio Metrópole, nesta sexta-feira (16), Geddel comentou a cassação do colega e as palavras do peemedebista proferidas a ele.

“O ex-presidente Cunha já tinha perdido este paço. Eu lamento do ponto de vista humano mas ele pagou o preço das suas atitudes. Ele não tem nenhum tipo de influência no que acontecerá daqui para frente. As pessoas vão se convencendo que a partir de agora se tenha unidade para a gente ir em frente. Se o cunha disse que eu fui decente com ele que bom. Mas, eu sou decente com todo mundo. As declarações dele são mais um desabafo, ele fica com mágoa, mas é importante dizer que o governo não teve nenhuma participação nesse processo. Essa coisa de você cassar parlamentar acaba sendo um julgamento politico que consome energia, tempo. o caso de Cunha é uma página virada, agora é tocar para frente", declarou o baiano. 

Geddel comentou ainda a extensa derrota de Cunha, que por 450 votos a favor, apenas dez contrários e nove abstenções, os colegas cassaram seu mandato. “Virou alguém que a opinião pública passou a desprezar, a Câmara dos deputados sofre uma pressão popular avassaladora, sobretudo na época das eleições. Não surpreendeu não, mas ele se tornou um símbolo de coisa ruim para opinião pública, agora é vida que segue”, pontuou Geddel.

 

Notícias relacionadas

[MBL cogita criar o próprio partido]
Política

MBL cogita criar o próprio partido

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Novembro de 2018 ⋅ 08:20 em Política

Grupo criado em 2014 como "apartidário" elegeu dois deputados em 2018