Política

Lava Jato: ex-dirigente do grupo Isolux é preso em Salvador

Foi preso em Patamares, no Edifícil Terrazzi Sul Mare, o empresário Luiz Eduardo Neto Tachard, ex-dirigente do grupo Isolux, do conglomerado de Eike Batista. A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (22) a 34ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Arquivo X. Durante a ação, [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tânia Rêgo/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 22 de Setembro de 2016 ⋅ 16:06

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (22) a 34ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Arquivo X. Durante a ação, foi preso em Patamares, no Edifício Terrazzi Sul Mare, o empresário Luiz Eduardo Neto Tachard, ex-dirigente do grupo Isolux, do conglomerado de Eike Batista. O dirigente foi encaminhado à Superintendência da PF em Curitiba, onde permanecerá encarcerado por cerca de cinco dias. A sede de um dos seus empreendimentos também foi alvo de busca e apreensão no bairro do Caminho das Árvores. 

Tachard é presidente da Tecna Brasil, que atua com serviços de engenharia e é sediada em Jacarepaguá (RJ), além de proprietário da Let Representações e Comércio, que trabalha na venda de máquinas, equipamentos, embarcações e aeronaves, em Salvador. Segundo informações da Polícia Federal, o consórcio Tecna/Isolux repassou  aproximadamente R$ 10 milhões à Credencial Construtora, acusada de intermédio de contratos fraudulentos para pagamento de propina. O consórcio é apontado ainda como responsável por transações ilegais de cerca de R$ 6 milhões com a empreiteira Mendes Júnior.

O juiz federal Sérgio Moro determinou o bloqueio de contas de Luiz Tachard e de outros sete pessoas: Luiz Claudio Machado Ribeiro, o diretor de desenvolvimento de negócios da Mendes Júnior; Ruben Maciel da Costa Val, diretor de negócios industriais da Petrobras; Danilo Souza Baptista, engenheiro; Luiz Eduardo Carneiro, ex-presidente da OGX (atual OGPar); Júlio Cesar Oliveira Silva, analista de sistemas; e Francisco Corrales Kindelán, consultor ligado à área de energia. O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega também teve seus bens bloqueados e chegou a ser preso pela Polícia Federal. No entanto, o juiz Sérgio Moro revogou a prisão e determinou que ele fosse solto.

Notícias relacionadas

[Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio]
Política

Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio

Por Marina Hortélio no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 16:00 em Política

Inquérito que investiga o senador por suposto recebimento de valores indevidos pela Construtora Norberto Odebrecht para a campanha eleitoral de 2014

[Moro pede exoneração do cargo de juiz ]
Política

Moro pede exoneração do cargo de juiz 

Por Alexandre Galvão no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 13:33 em Política

No documento, o futuro ministro da Justiça alegou que é notório o convite e aceite para a assumir a pasta em 2019