Política

Isidório critica pesquisas eleitorais e chama ACM Neto de "faraó"

O candidato Pastor Sargento Isidório (PDT) criticou as pesquisas eleitorais que indicaram o baixo nível de intenções de voto em sua candidatura. Em entrevista ao Metro1, o deputado estadual afirmou que os censos não demonstram a realidade que será vistas nas urnas. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni e Matheus Morais no dia 25 de Setembro de 2016 ⋅ 23:14

O candidato Pastor Sargento Isidório (PDT) criticou as pesquisas eleitorais que indicaram o baixo nível de intenções de voto em sua candidatura. Em entrevista ao Metro1, o deputado estadual afirmou que os censos não demonstram a realidade que será vistas nas urnas.

"Essa pesquisa descarada que tem aí. Acreditar nessas pesquisas só mesmo quem não tem juízo. É o mesmo que acreditar que as novelas de Rede Globo são verdadeiras. Que o cabra chegou lá e morreu no rio sem nada ter acontecido antes. As pesquisas que têm aí só servem para o patrão enganar a si próprio. Três vezes aqui tiveram eleição em que o cabra que teve 60% ou 70% perde para quem está com 12% ou 15% no primeiro turno. Isso não vai enganar o público", disse o Pastor.

O candidato também demonstrou indignação com a ausência do prefeito ACM Neto (DEM) nos debates televisivos. "Só fico triste porque a imprensa toda da Bahia e do Brasil está sendo desrespeitada por um faraó, uma majestade, sua alteza, que, estando recebendo dinheiro do povo que já está na cidade, deveria dar exemplo e estar em todos os debates. Até porque, eu não vejo em mim, em Célia, em Da Luz, em Cláudio, em Alice...ninguém é moleque. Todo mundo são pessoas e cidadãos, representantes da cidade. Tanto é que o TRE deferiu a candidatura de homens e mulheres de bem. Aí alguém se acha melhor e desrespeita o jornalismo, a imprensa e o radialista", disse Isidório.

"Eu acho isso ruim para a democracia. Mantive minha posição, nenhum candidato que respeita a imprensa livre de Salvador, da Bahia e do Brasil, pisa lá na TV Bahia, no palácio de sua excelência. Ele teria que ficar sozinho sentado lá numa cadeira faraônica", declarou.

Notícias relacionadas