Política

Florence cita erros e comenta derrota do PT na capital e interior

O deputado federal Afonso Florence (PT) comentou em entrevista à Rádio Metrópole, sobre o encolhimento do Partido dos Trabalhadores nas eleições 201 na Bahia. Segundo ele, em Salvador, faltou uma concentração do partido, jána Região Metropolitana e no interior do estado, como Camaçari e Vitória da Conquista por exemplo, os resultados surpreenderam. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ O Globo

Por Milene Rios no dia 03 de Outubro de 2016 ⋅ 08:51

O deputado federal Afonso Florence (PT) comentou em entrevista à Rádio Metrópole, o encolhimento do Partido dos Trabalhadores nas eleições 2016 na Bahia. Segundo ele, em Salvador, faltou uma concentração do partido, já  na Região Metropolitana e no interior do estado, como Camaçari e Vitória da Conquista por exemplo, os resultados surpreenderam. 

"Em Camaçari houve uma condição política, o Prefeito Ademar Delgado saiu do PT, já tinha um desgaste interno do PT com PC do B e isso Contribuiu para a derrota. E óbvio se há um desgaste da administração municipal [...]. A vitória é maiúscula, do ponto de vista eleitoral,  do ponto de vista político, nos temos que analisar o que levou a essas condições,nos temos uma avaliação muito crítica, da administração municipal. 

Em Salvador, onde o prefeito ACM Neto venceu as eleições por mais de 70%, Florence acredita que faltou um direcionamento do PT para apoio político. O partido não escolheu candidato próprio, mas distribuiu apoios. "O curioso é a aprovação expressiva do governador Rui Costa e a candidata dele, Alice, não teve. Ele ter uma relação eleitoral com Isidório [...] Talvez a pulverização, a concentração é o que faltou. Assim como es outros lugares, só apoiou, poderia ter tido um candidato próprio, mas, de fato, temos que reconhecer. ACM Neto ganha, esperamos que ele honre o compromisso de governar. Ele botou um assessor dele como vice e tudo indica que ele vai querer disputar um governo estadual. Mas daqui até 2018 tem muita água pra rolar embaixo da ponte. Foi muito fraco nosso desempenho, em relação à avaliação do governador Rui  Costa. Quando nós pegamos as pesquisas que fazemos a leitura da preferência partidária, várias delas davam mais de 20% do eleitorado com preferência pelo PT, Isso não se manifestou. Parece que nenhum candidato da base conseguiu trazer em sua performance eleitoral, o governo Rui Costa. Agora o que eu acho que pesou. A gente tem que identificar os erros e acertos. Nós tentamos unificar a esquerda de forma maias clássica, considerando o tema da democracia, e eu vi pesquisas de mais de 60% do eleitorado se manifestando contrariamente contra o impeachment", disse o deputado se referindo à preferência dos eleitores por Rui no âmbito estadual. 

O deputado comentou ainda a derrota do Partido dos Trabalhadores em Feira de Santana, onde o deputado Zé Neto (PT) perdeu para o atual prefeito Zé Ronaldo (DEM) e em Vitória da Conquista, onde o PT sofreu sua primeira derrota eleitoral desde que começou a governar a cidade há 20 anos.  O candidato do PMDB, Herzem Gusmão, teve 47,82% contra 31,69% do petista José Raimundo Fontes, levando ao segundo turno. 

"Em Feira de Santana nós nunca tivemos a oportunidade de ganhar. Zé Ronaldo tem sempre feito sucessor. Não é exatamente uma surpresa. Pretendíamos chegar ao segundo turno, mas não conseguimos e Vitória da conquista é um outro caso a ser estudado, porque o PT vem governando há muitos ano, mas muita gente perde as eleições nacionais e estaduais, e de fato o PMDB se posicionou. Tem uma ressaca muitas vezes. Mas, ganhamos por exemplo em Senhor do Bonfim", pontuou o deputado. 

Notícias relacionadas

[Moro deseja regulamentar lobby político]
Política

Moro deseja regulamentar lobby político

Por Marina Hortélio no dia 13 de Dezembro de 2018 ⋅ 18:40 em Política

Ele afirmou que melhor regulamentar o lobby do que permitir que ocorra 'as escuras'