Política

Dirigente reconhece retração do PT nas eleições: "Esperávamos algo melhor"

Questionado sobre o encolhimento do PT nas eleições municipais deste ano na Bahia, durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (3), o presidente estadual do partido, Everaldo Anunciação, reconheceu que o rendimento "não foi satisfatório". [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento no dia 03 de Outubro de 2016 ⋅ 10:16

Questionado sobre o encolhimento do PT nas eleições municipais deste ano na Bahia, durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (3), o presidente estadual do partido, Everaldo Anunciação, reconheceu que o rendimento "não foi satisfatório".

Apesar das derrotas na capital e no interior, o petista afirmou que "é necessário respeitar o eleitorado". "Não atingiu a expectativa que tínhamos. Esperávamos algo melhor. Construímos a estratégia de chegar em 70 cidades e ter uma distribuição pelo território baiano. O desempenho ficou aquém do que programamos", disse.

De acordo com o petista, para Salvador, não houve erro na escolha do nome de Alice Portugal (PCdoB). "Havia questionamentos do nome, se era o mais adequado. Mas a sua história, lhe deu o aval. O nome [de Walter Pinheiro] que tínhamos [dentro do PT] não teve êxito. As questões midiáticas [como os escândalos e prisões da Lava Jato], falta de oposição acirrada na gestão, isso nos deixou distante. Mas não atribuo isso a Alice. É coletivo", ressaltou.

Sobre o próximo pleito, em 2018, Anunciação afirmou que "deve polarizar entre a reeleição de Rui e a oposição". "O cenário da base aliada é consistente. Há uma modificação da quantidade de votos com o DEM em Camaçari. Mas em geral, tem um quadro bom com a política de aliança, com a boa performance de Rui. Estamos bem", declarou.

"É cuidar, entender o resultado das urnas. O número de abstenções e votos nulos cresceu muito. Temos que rever as coisas. Acredito que o legado construído por Wagner e Rui foi importante", acrescentou.

 

Notícias relacionadas

[Procuradoria eleitoral pede cassação de Doria]
Política

Procuradoria eleitoral pede cassação de Doria

Por Alexandre Galvão no dia 19 de Dezembro de 2018 ⋅ 07:40 em Política

Os procuradores calculam que a Prefeitura gastou R$ 52,5 milhões em propaganda no primeiro semestre desta ano, 79% a mais do que a média dos primeiros semestres de 2015