Política

Presidente esquece nome do FIES, mas garante que programa continua

"Nós aumentamos aquele fundo estudantil [FIES] para pagar as universidade de estudantes que não podem pagar no presente momento. Nós aumentamos 75 mil vagas para o ano que vem. [Leia mais..]"

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Valor

Por Milene Rios e Matheus Morais no dia 05 de Outubro de 2016 ⋅ 09:02

O presidente Michel Temer, negou, em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (5), que vai reduzir os programas sociais do país. Entre as prioridades, Temer disse que vai aumentar o número de vagas para para "aquele fundo estudantil". Deixando escapar durante a entrevista a MK, que não lembrou o nome do porgrama.  

“Há um mês e meio mandei chamar o ministro do desenvolvimento e ele me disse que há dois anos não tinha aumento para o Bolsa Família, não vamos acabar com o Bolsa Família, estamos revalorizando. O Minha Casa Minha vida estamos lançando 40 mil casas. Nós aumentamos aquele fundo estudantil [FIES] para pagar as universidade de estudantes que não podem pagar no presente momento. Nós aumentamos 75 mil vagas para o ano que vem. Eu estou dizendo isso para desmentir os ouvinte que tem a ideia de que nós combatemos as questões sociais, que queremos eliminar as questões sociais. O maior incentivo que queremos dar é o emprego. Nós estamos incentivando, e o maior incentivo é gerar emprego. Não há nada mais indigno que o desemprego”, prometeu o presidente. 

Notícias relacionadas

[Moro deve trocar comando da Polícia Federal]
Política

Moro deve trocar comando da Polícia Federal

Por Marina Hortélio no dia 17 de Novembro de 2018 ⋅ 08:30 em Política

De acordo com a Folha, o atual superintendente da PF do Paraná, o delegado Maurício Valeixo, é um dos principais cotados para assumir o posto de diretor-geral da PF ou in...

[Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio]
Política

Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio

Por Marina Hortélio no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 16:00 em Política

Inquérito que investiga o senador por suposto recebimento de valores indevidos pela Construtora Norberto Odebrecht para a campanha eleitoral de 2014