Política

Sandro Régis diz que "PT virou pó" e Zé Neto rebate: "Está meio perdido"

O líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Zé Neto (PT) — derrotado nas eleições para prefeito em Feira de Santana —, rebateu as declarações do colega Sandro Régis (DEM), que desdenhou da legenda petista por não ter tido um bom rendimento nas eleições municipais deste ano. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Bocão News

Por Gabriel Nascimento no dia 07 de Outubro de 2016 ⋅ 10:02

O líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Zé Neto (PT) — derrotado nas eleições para prefeito em Feira de Santana —, rebateu as declarações do colega Sandro Régis (DEM), que desdenhou da legenda petista por não ter tido um bom rendimento nas eleições municipais deste ano. Durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta sexta-feira (7), Zé Neto declarou que o discurso de Régis "não tem lé com cré".

"Gosto de Sandro, mas na política eles [oposição a Rui] estão meio perdidos. Estão pecando, como no passado. Lembro bem quando tivemos a debandada do PMDB, que saiu do governo [Wagner] pra entrar no time do golpista [para disputar a eleição], fizeram a mesma festa. Depois tomaram. Essa é a história deles", afirmou.

Destacando a vitória de Rui em 2014, o petista pontou que o recuo do partido no interior não preocupa. "Ao contrário, a gente tem que ter o pé no chão. A gente vai ter desafios todos os dias. A crise é nacional, internacional. Afetou Dilma. O Congresso comandado pelo PMDB, DEM e PSDB fez as pautas bombas e isso gerou a crise que terminou com a derrocada de Dilma de forma abrupta e violenta", disse.

Ainda sobre a derrota nos municípios baianos, o petista ressaltou: "A ofensiva não é só contra o PT, Lula, nem pessoas que estão lá. A ofensiva é contra o que significou e siginica o PT para o povo brasileiro. Governamos para o povo, fizemos a maior transformação social da história do Brasil", reafirmou.

"A queda tem um momento da política que eles souberam aproveitar bem, fizeram pautas bombas, conspiração política, a grande mídia comandada pelo Globo, Veja, Folha de S. Paulo, fazem um massacre diariamente. Sabemos das nossas dificuldades, quando chegar pra gente, chega pro povo brasileiro. Eles não estão contando com isso", acrescentou. "Essa euforia, voo de anu, abre os braços, acha que ta bacana. Sabemos o que construímos, e não vamos mudar de nome. Primeiro eram Arena, depois PFL, DEM, vivem de maquiagem", finalizou.

Notícias relacionadas