Política

Câmara: oposição marca reunião na sexta-feira para decidir candidatura

A vereadora Aladilce Souza (PCdoB) falou em entrevista ao Metro1, nesta quarta-feira (19), sobre a frente "Câmara Democrática" que é contra a candidatura de reeleição do presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Paulo Câmara (PSDB). Segundo ela, a Casa precisa se firmar como poder independente. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Jessica Galvão e Matheus Morais no dia 20 de Outubro de 2016 ⋅ 11:35

A vereadora Aladilce Souza (PCdoB) falou em entrevista ao Metro1, nesta quarta-feira (19), sobre a frente "Câmara Democrática" que é contra a candidatura de reeleição do presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Paulo Câmara (PSDB). Segundo ela, a Casa precisa se firmar como poder independente.

"Eu acho que está claro dois campos desenhados na disputa pela presidência da Câmara. Acho que é positivo no sentido de que é preciso discutir realmente a Câmara para além das candidaturas, para além de nomes de presidente. Isso, inclusive, é o que a bancada da oposição vem levantando. A Câmara precisa se afirmar verdadeiramente como poder independente, autônomo, que não seja subserviente ao poder executivo, porque a nossa missão é fiscalizar o executivo, é fazer boas leis para a cidade, é representar o cidadão, baseado no interesse público, no interesse coletivo. O motivo que esta agenda esteja sendo absolvida por um grupo de vereadores, quanto mais democratização melhor, e essa ideia democrática é o que a gente sempre defendeu", falou.

Na ocasião, Aladilce disse ainda que conversou nesta quarta-feira com os cadidatos a presidência da Casa, Paulo Câmara (PSDB) e Leo Prates (DEM), e que a oposição não descartou ter candidato. "Vamos, na sexta-feira, estamos ainda confirmando com os partidos, uma reunião mais ampla nossa, da bancada, com os presidentes municipais dos partidos do nosso campo para debater mais e estamos construindo a possibilidade de um lançamento de uma candidatura também, não está descartado não", falou.

Além disso, ela falou também que há possibilidade da oposição apoiar a frente democrática. "No momento ainda não há uma definição, porque a gente está em processo de disputa, inclusive interna. Nós não conseguimos ainda pensar em vereadores novos, chegando, então a gente está buscando fazer uma conversa mais no nosso campo ainda, e ouvir os dois blocos. Essa reunião de sexta amplia mais porque vai envolver os presidentes do PCdoB, do PT, do PSD, do PSB, e PTN", finalizou.

 

Notícias relacionadas