Política

Boca Quente: o Vigário de Neto, a Síndrome de Bassuma e o rei de Pernambués

Na coluna Boca Quente desta semana tente descobrir quem é o Vigário do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), mais um político com a Síndrome de Bassuma e o rei de Pernambués; confira

[Imagem not found]
Foto : Tacio Moreira/ Metropress

Por Grupo Metrópole no dia 20 de Outubro de 2016 ⋅ 07:49

Na coluna Boca Quente desta semana tente descobrir quem é o Vigário do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), mais um político com a Síndrome de Bassuma e o rei de Pernambués; confira

Vaquejada: polêmica em debate

Uma   briga   grande,   que   está  apenas  começando  e  ainda  vai  render  muito,  é  aquela  relativa  à proibição  da  vaquejada.  Hoje,  às 17h, haverá um debate sobre o assunto na Rádio Metrópole, 101.3 FM. Não perca!

Nova e ligeira

Nem tomou posse como vereadora de Salvador, a filha do pastor Átila Brandão, Bispa Lorena Brandão (PSC) já anda soltando releases para a imprensa local comentando todo e qualquer assunto! Isso é que a gente chama de colocar o carro na frente dos bois... 

Finanças e história política

O secretário da Fazenda municipal, Paulo Souto, quando é entrevistado  na  Metrópole, sempre  dá informações sobre as finanças de  Salvador,  mas  também  fala  sobre   sua   experiência   política nos tempos de ACM, o original. 

Aldemar Vigário

Sabe Aldemar Vigário, puxa-saco interpretado por Lúcio Mauro Filho (e antes por seu pai) na Escolinha do Professor  Raimundo,  que  credita  todas  as  grandes  obras  e  conquistas  da  humanidade  ao  mestre  Raimundo  Nonato?  Pois  o  prefeito  ACM  Neto  também  tem  o  seu  Aldemar Vigário. Um vereador de Salvador não tem vergonha nenhuma  de  contar,  nas  rodas  políticas,  que  concorda  com tudo o que Neto diz ou quer fazer. Em recente episódio, ele se vangloriou de, ao ser consultado, responder ao prefeito: “Não preciso nem dizer que minha opinião é o que o senhor disser”. Quem acertar o dono da frase ganha um prat... Ops, um prêmio!

Tá se achando

Depois que o vereador J. Carlos Filho não conseguiu a reeleição para a Câmara, Orlando Palhinha (DEM) já diz nos corredores que é o único representante do Subúrbio Ferroviário na Casa. Seguindo para o quarto mandato, Palhinha tá se achando. 

Síndrome de Bassuma

Ele já foi Maurício de Tude, depois Maurício Bacellar (com dois l), mas nem mudando  de  sobrenome conseguiu  êxito eleitoral.  O  irmão  do  deputado  federal  João Carlos Bacelar foi candidato a vereador em Camaçari e só conseguiu 1.019 votos. Não se elegeu e ainda entrou para a  lista  de  portadores  da  Síndrome  de Bassuma  —  aquela  daqueles  que  já  foram alguma coisa, mas hoje não se elegem nem pra síndico de prédio.

Ninguém é páreo em Pernambués

O PT só conseguiu eleger três vereadores para a próxima legislatura, mas um candidato saiu fortalecido da disputa. Entre todos os vereadores eleitos, Luiz Carlos Suíca  foi  o  que  conseguiu  maior  votação  em  uma  mesma  zona:  4.917  votos na  área  que  compreende  Pernambués, Cabula e Saboeiro. A segunda maior votação  por  zona  foi  de  Duda  Sanches  na  12ª,  que  tem  urnas  na  Federação,  Garcia, Ondina, Politeama e Rio Vermelho.

Otto na cola de Leão

Falando no vice-governador João Leão, ele que fique ligado. Tem muito deputado estadual do PP negociando migrar para o PSD, do senador Otto Alencar. O principal motivo é o crescimento da base de prefeitos ligados a Otto no interior da Bahia. O senador é baiano, mas trabalha como bom mineiro: quieto e calado. Se duvidar, quando o pessoal notar, já dominou o interior.

Eternamente na sombra

Esta semana, o deputado federal Cacá Leão (PP) posou para uma foto no seu gabinete que deixa escapar um 
detalhe: na parede estava lá, imponente, um quadro com a foto do pai, João Leão. Isso é que é família unida. Mas, por outro lado, não tá na hora de o pepista se livrar da sombra do pai? Talvez assim deixe de ser tão apagado..

Notícias relacionadas