Política

Seagri defende prática da vaquejada na Bahia

A Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri) se posicionou a favor da prática esportiva da Vaquejada. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Lagartense

Por Matheus Morais no dia 25 de Outubro de 2016 ⋅ 10:17

A Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri) se posicionou a favor da prática esportiva da Vaquejada. Em nota enviada à imprensa, na manhã desta terça-feira (25), a pasta diz que a vaquejada é uma "atividade secular inerente as tradições culturais da pecuária do Brasil, e de alto valor econômico para o Estado".  Dea cordo com a Seagri, a equideocultura é a segunda atividade econômica da pecuária nacional, e a Bahia possui o 1º plantel de equídeos nacional (Equinos, Muares e Asininos), o que contribui significativamente para a economia regional do setor agropecuário, responsável pela geração de milhares de postos de trabalho. 

A nota diz ainda que são realizados mais de quatro mil eventos na Bahia, movimentando R$ 800 milhões por ano e gerando cerca de 720 mil empregos, sendo 120 mil diretos e 600 mil indiretos. "Como modalidade esportiva, a vaquejada se disseminou para outras regiões do território nacional, e hoje é uma atividade de grande importância na equideocultura do nordeste e do Brasil, tendo em vista a sua contribuição para o incremento e desenvolvimento de cavalos atletas, da medicina veterinária esportiva, da clínica, da reprodução, do diagnóstico de imagem e da doma racional". A Seagri ressalta que na Bahia a vaquejada é regulamentada pela lei 13.454/15, como prática desportiva e cultural. 

Notícias relacionadas

[‘O Estado brasileiro matou Marielle’, afirma viúva da vereadora]
Política

‘O Estado brasileiro matou Marielle’, afirma viúva da vereadora

Por Matheus Simoni e Alexandre Galvão no dia 18 de Dezembro de 2018 ⋅ 09:10 em Política

"A política não aceita uma mulher preta, favelada, lésbica. Esse contexto é dramático é pode colocar outras vidas em risco”, declarou ela, em entrevista a Mário Kertész