Política

Após suspensão, votação da PEC 241 segue na Câmara dos Deputados

A votação desta terça-feira (25) do segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que institui um teto de gastos por 20 anos voltou a acontecer na Câmara dos Deputados após o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ter suspendido a sessão por conta dos protestos de manifestantes opositores à PEC que ocupam as galerias do plenário. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Luis Macedo/ Câmara dos Deputados

Por Laura Lorenzo no dia 25 de Outubro de 2016 ⋅ 17:56

A votação desta terça-feira (25) do segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que institui um teto de gastos pelos próximos 20 anos, voltou a acontecer na Câmara dos Deputados após o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ter suspendido a sessão por conta dos protestos de manifestantes opositores à PEC que ocupam as galerias do plenário.

Maia chegou a pedir que os manifestantes fossem retirados pela segurança da Casa mas, após membros da oposição da Câmara tentaram estabelecer um novo pacto, os presidente concordou que eles continuassem nos corredores, desde que em silêncio.

Gritos como "1, 2, 3, 4, 5 mil. Ou para essa PEC, ou paramos o Brasil" e "Ô deputado, preste atenção, você foi eleito com o voto do povão" foram alguns dos bradados no plenário pelos oposicionistas. "Essa é a última vez que deixei as galerias abertas", afirmou Maia, que disse ter pedido "respeito" aos manifestantes. O presidente da Casa alegou ainda que o desrespeito tem ocorrido de "forma sistemática".

Antes dos protestos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) reclamou da população presente e se posicionou contra os manifestantes: "Lugar de baderneiro é lá fora comendo capim".

Notícias relacionadas