Política

Após críticas de Rui, dirigente do PCdoB desconversa: "Respeito a opinião"

Questionado por Mário Kertész sobre a declaração do governador do estado, Rui Costa (PT), que afirmou que Alice Portugal não era a candidata ideal para disputar a Prefeitura de Salvador, o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) desconversou, em entrevista à Rádio Metrópole, na tarde desta quarta-feira (26). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Câmara

Por Matheus Morais no dia 26 de Outubro de 2016 ⋅ 12:43

Questionado por Mário Kertész sobre a declaração do governador do estado, Rui Costa (PT), que afirmou que Alice Portugal não era a candidata ideal para disputar a Prefeitura de Salvador, o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) desconversou, em entrevista à Rádio Metrópole, na tarde desta quarta-feira (26).

"O governador fez a montagem do projeto de 2016, ele partilhou do projeto, ajudou a indicar a vice na chapa de Alice. Ainda não tive a oportunidade de fazer um balanço do resultado eleitoral com o governador, o fundamental é ouvir e respeitar a opinião. O PCdoB está satisfeito com a coligação. A esquerda teve dificuldade no país inteiro: veja em Fortaleza, tivemos uma votação pequena, com uma uma candidata que já foi prefeita. Alice dialogou com a cidade, mas ela encontrou do outro lado uma maré de forças políticas", ressaltou. 

Segundo Rui Costa, um dos problemas enfrentados pela base governista nas eleições de outubro foi a definição do nome do candidato em Salvador. "Tentei Olivia [Santana, secretária de Políticas para Mulheres], do PCdoB, negra, que foi nossa secretária. Mas o PCdoB preferiu Alice Portugal, cujo histórico político foi sempre como deputada estadual lutando em favor dos servidores e não discutindo a cidade", disse.  

Notícias relacionadas

[‘O Estado brasileiro matou Marielle’, afirma viúva da vereadora]
Política

‘O Estado brasileiro matou Marielle’, afirma viúva da vereadora

Por Matheus Simoni e Alexandre Galvão no dia 18 de Dezembro de 2018 ⋅ 09:10 em Política

"A política não aceita uma mulher preta, favelada, lésbica. Esse contexto é dramático é pode colocar outras vidas em risco”, declarou ela, em entrevista a Mário Kertész