Política

Ministro manda recolher ao Supremo aparelhos de gravação do Senado

O ministro Teori Zavascki determinou o envio para o Supremo Tribunal Federal (STF) de equipamentos eletrônicos do Senado capazes de identificar e gravar interceptações telefônicas. Os aparelhos haviam sido apreendidos pela Polícia Federal na semana passada, na Operação Métis, que apura se policiais legislativos agiram para obstruir a Operação Lava Jato e favorecer parlamentares investigados. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Nelson Jr./Fotos Públicas

Por Stephanie Suerdieck no dia 28 de Outubro de 2016 ⋅ 07:57

O ministro Teori Zavascki determinou o envio para o Supremo Tribunal Federal (STF) de equipamentos eletrônicos do Senado capazes de identificar e gravar interceptações telefônicas. Os aparelhos haviam sido apreendidos pela Polícia Federal na semana passada, na Operação Métis, que apura se policiais legislativos agiram para obstruir a Operação Lava Jato e favorecer parlamentares investigados. Os equipamentos, em formato de maletas, estão em poder da PF por determinação do juiz Vallisney de Souza Oliveira, que autorizou a prisão, na última sexta (21), de quatro policiais legislativos suspeitos de embaraçar as investigações da Operação Lava Jato.

O recolhimento foi informado por Zavascki em resposta a uma consulta do ministro Ricardo Lewandowski, que é relator de uma ação apresentada pelo Senado ao STF que visa impedir que juízes de primeira instância determinem diligências na Casa Legislativa. Pela manhã, Teori Zavascki determinou a suspensão da Operação Métis e mandou transferir todo o processo relativo à operação da Justiça Federal do Distrito Federal para o STF. O ministro é relator de uma ação apresentada por um dos policiais presos para anular a operação.

 

Notícias relacionadas

[Operação da Polícia Federal prende prefeito de Mauá]
Política

Operação da Polícia Federal prende prefeito de Mauá

Por Alexandre Galvão no dia 13 de Dezembro de 2018 ⋅ 09:00 em Política

A investigação é um desdobramento da Operação Prato Feito, que investigava o desvio de recursos públicos em diversas cidades na merenda escolar.