Política

Ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha desocupa imóvel funcional em Brasília

Nesta sexta-feira (4), o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso pela Operação Lava-Jato no dia 19 de outubro, desocupou o apartamento funcional da Câmara, na 316 sul, em Brasília, após quase um mês de atraso. O imóvel era para ter sido entregue desde o dia 13 de outubro, um mês após Cunha perder o mandato de parlamentar. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Antonio Cruz/Agência Brasil

Por Yasmin Garrido no dia 04 de Novembro de 2016 ⋅ 18:23

Nesta sexta-feira (4), o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso pela Operação Lava-Jato no dia 19 de outubro, desocupou o apartamento funcional da Câmara, na 316 sul, em Brasília, após quase um mês de atraso. O imóvel era para ter sido entregue desde o dia 13 de outubro, um mês após Cunha perder o mandato de parlamentar. 

A 4ª Secretaria da Câmara dos Deputados não confirmou se Cunha terá de pagar multa em decorrência do atraso na entrega do imóvel, apesar de esta ser uma previsão do regimento interno da Casa. A multa tem como cálculo a proporção entre o valor do auxílio moradia (R$ 4.253) e os dias de ocupação irregular. 

A Câmara dos Deputados, após a desocupação, deverá fazer uma vistoria no apartamento para conferir o estado dos móveis, além de fazer uma revisão de manutenção das redes elétricas e hidráulicas. O órgão ainda não se manifestou sobre o próximo parlamentar a ocupar o imóvel. 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro planeja culto ecumênico no dia da posse]
Política

Bolsonaro planeja culto ecumênico no dia da posse

Por Matheus Simoni no dia 21 de Novembro de 2018 ⋅ 12:20 em Política

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, assessores de Bolsonaro afirmam que o esquema de segurança e o tempo de duração do evento devem ser as principais preocupações d...

[MBL cogita criar o próprio partido]
Política

MBL cogita criar o próprio partido

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Novembro de 2018 ⋅ 08:20 em Política

Grupo criado em 2014 como "apartidário" elegeu dois deputados em 2018