Política

BNDES prega "tranparência" e se diz aberto para esclarecimentos em CPI

Após romperto com o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou na última sexta-feira (17) a criação de quatro comissões parlamentares de inquérito (CPIs), duas delas contrariando o Planalto. Uma das comissões que desagradam o Executivo é a que vai investigar empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Correio do Estado

Por Matheus Simoni no dia 18 de Julho de 2015 ⋅ 13:05

Após romperto com o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou na última sexta-feira (17) a criação de quatro comissões parlamentares de inquérito (CPIs), duas delas contrariando o Planalto. Uma das comissões que desagradam o Executivo é a que vai investigar empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Apesar de criada, a CPI só será instalada depois do recesso parlamentar, em agosto. A comissão é fruto de um requerimento do deputado Rubens Bueno (PPS-PR). O parlamentar pediu que fossem investigadas supostas irregularidades envolvendo o BNDES entre os anos de 2003 e 2015 relacionadas à concessão de empréstimos considerados "secretos" concedidos a países como Angola e Cuba. Por meio de nota, o banco pregou "transparência" e afirmou que será capaz de atender todos os pleitos da CPI. Confira a nota na íntegra:


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acompanha com tranquilidade as notícias relacionadas à instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o Banco. 
Instalada a CPI, o BNDES tem absoluta certeza de que será capaz de atender a todos os pleitos da Comissão, demonstrando de maneira clara a contribuição efetiva que o Banco tem dado para o desenvolvimento do Brasil. 
Como instituição pública, o BNDES tem o dever de prestar contas à sociedade brasileira, o que tem demonstrado de maneira cabal com as iniciativas recentes que colocaram o Banco na vanguarda no que se refere a práticas de transparência.

Notícias relacionadas

[Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio]
Política

Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio

Por Marina Hortélio no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 16:00 em Política

Inquérito que investiga o senador por suposto recebimento de valores indevidos pela Construtora Norberto Odebrecht para a campanha eleitoral de 2014

[Moro pede exoneração do cargo de juiz ]
Política

Moro pede exoneração do cargo de juiz 

Por Alexandre Galvão no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 13:33 em Política

No documento, o futuro ministro da Justiça alegou que é notório o convite e aceite para a assumir a pasta em 2019