Política

Empresário diz em delação que Eike pagou propina a Cunha para lucrar com FGTS

O empresário Alexandre Margotto disse em sua delação que Eike Batista pagou propina ao ex-deputado Eduardo Cunha com o objetivo de que as empresas de seu grupo recebessem uma quantia do Fundo de Investimento do FGTS. [Leia mais...]

[Empresário diz em delação que Eike pagou propina a Cunha para lucrar com FGTS]
Foto : Divulgação

Por Luiza Leão no dia 20 de Fevereiro de 2017 ⋅ 14:38

O empresário Alexandre Margotto disse em sua delação que Eike Batista pagou propina ao ex-deputado Eduardo Cunha com o objetivo de que as empresas de seu grupo recebessem uma quantia do Fundo de Investimento do FGTS. De acordo com o G1, no ano de 2012, o FGTS investiu R$ 750 milhões na empresa LLX, que na época pertencia a Eike, para obras no porto de Açu.

Alexandre Margotto tem ligação com Lúcio Funaro, indicado como operador de Cunha em esquemas de corrupção investigados pelo Ministério Público. De acordo com Margotto, Funaro também foi beneficiado com propina paga por Eike. Eike, Cunha e Funaro estão presos. 

Margotto foi denunciado em outubro de 2016 pelo Ministério Público Federal junto com Cunha, Funaro e o ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal Fábio Cleto, que era um dos canais de influência de Cunha no banco federal.

Segundo depoimento de Margotto, Funaro contou a ele que se encontrou com Eike em um jantar em Nova York e que algum tempo depois o investimento do FGTS na empresa de Eike foi liberado, com a autorização de Cunha.

Notícias relacionadas