Política

Governo e Prefeitura trocam farpas por segurança, bebidas e Cine Glauber

O segundo dia oficial de Carnaval foi marcado — ao menos politicamente — por mais um episódio da picuinha entre governo do estado e Prefeitura de Salvador. Três assuntos causaram polêmica entre Rui Costa e ACM Neto durante as entrevistas à imprensa no Campo Grande. [Leia mais...]

[Governo e Prefeitura trocam farpas por segurança, bebidas e Cine Glauber]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Felipe Paranhos no dia 23 de Fevereiro de 2017 ⋅ 23:24

O segundo dia oficial de Carnaval foi marcado — ao menos politicamente — por mais um episódio da picuinha entre governo do estado e Prefeitura de Salvador. Três assuntos causaram polêmica entre Rui Costa e ACM Neto durante as entrevistas à imprensa no Campo Grande.

O primeiro foi o projeto de lei que tramita na Câmara Municipal sobre a devolução à Prefeitura de um terreno na região da Praça Castro Alves, incluindo o imóvel do Cine Glauber Rocha. Atualmente, o governo do estado é que toma conta do local. Rui declarou que a iniciativa é "esquisita". "Isso não existe do ponto de vista legal, do ponto de vista comercial. E mais estranho é quando se trata de dois poderes. (...) Eu pelo menos acho muito esquisito, sem nenhum telefonema, para algum secretário de estado, muito menos para o governador. É estranho isso e eu já recomendei à procuradoria que se posicione, com as ferramentas jurídicas que forem necessárias. Nós estamos na posse e não vamos sair dela, a não ser que a nós seja dialogado com algum projeto bom para a cidade”, disse, de acordo com o site Bahia Notícias. 

"Não vou gastar o dinheiro do povo com bebida"

Outro caso de disputa Prefeitura-governo foi sobre as bebidas servidas no camarote do governador. Os produtos eram da Schin, da BrasilKirin, rival da Ambev — patrocinadora e fornecedora única do Carnaval. Rui reclamou. "Eu gosto de fazer gestão, eu não gosto muito da picuinha política. É um negócio chato. Um camarote desse... Eu não gasto dinheiro público com bebida, com essas coisas. A gente pede doação às empresas. Quem quer doar para receber convidados. É doação. Eu não vou ficar escolhendo marca. É como o ditado diz: a cavalo dado, não se olham os dentes”, afirmou o petista. “Inclusive, aos chineses, vou servir as bebidas que recebi de doação, porque não vou gastar o dinheiro do povo com bebida. Agora, imagine, as bebidas indo para o camarote do governador, para receber embaixador etc, vai apreender porque não é da mesma marca do patrocinador! Isso não é razoável”, arrematou Rui.

"Qual a diferença?"

Depois de o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, criticar o acréscimo do arrastão da meia-noite — puxado por Carlinhos Brown — ao cronograma da terça-feira de Carnaval, o prefeito ACM Neto (DEM) rebateu com sarcasmo. “Normalmente, o último trio sai 23h30. Brown vai sair 0h, meia hora a mais que o normal. Qual é a diferença?”, declarou, em entrevista ao site Bahia.Ba.

“Tem gente querendo criar polêmica onde não existe, não vou entrar nisso. Tudo que a gente faz é pensando na festa. Eu sou o prefeito que Salvador escolheu. Por sinal, com 74% dos votos. Se alguém tem ciúme disso, sem problema, 2020 tente se candidatar”, completou.

 

 

 

 

Notícias relacionadas