Política

Citado em delação, Padilha diz que não falará 'sobre o que não existe'

Após a licença de 21 dias, o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha voltou ao Palácio do Planalto, mas alegou que não pretende falar 'do que não existe', referindo-se às declaração do relatos da Odebrecht e do ex-assessor da Presidência José Yunes. [Leia mais...]

[Citado em delação, Padilha diz que não falará 'sobre o que não existe']
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Laura Lorenzo no dia 13 de Março de 2017 ⋅ 19:09

Após a licença de 21 dias, o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha voltou ao Palácio do Planalto, mas alegou que não pretende falar 'do que não existe', referindo-se às declaração do relatos da Odebrecht e do ex-assessor da Presidência José Yunes, que confirmaram a participação do ministro no episódio da entrega de um pacote em seu escritório em 2014, supostamente enviada pelo ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. 

"Não vou falar sobre o que não existe. Está tudo baseado em um delator", afirmou o ministro. Mesmo estando às vésperas da divulgação da Lista de Janot, Padilha salientou que a "citação não é motivo para nada" e que o presidente Michel Temer "já firmou uma linha de posicionamento do governo".

Em fevereiro, Temer alegou que um ministro denunciado seria temporariamente afastado de seu governo, e definitivamente caso virasse réu. Padilha acrescentou que "qualquer falar agora é prejudicial" e que por isso preferia 'ficar quieto'. 

Notícias relacionadas