Política

Caso PL não seja criado, destino de Marcelo Nilo será o PSD

Ementrevista à Rádio Metrópole nessa segunda-feira (3), o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo, comentou a sua saída do Partido Democrático Trabalhista (PDT). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira no dia 03 de Agosto de 2015 ⋅ 08:10

Em entrevista à Rádio Metrópole nessa segunda-feira (3), o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo, comentou a sua saída do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Apesar da sua expectativa de ir para o Partido Liberal (PL), caso a refundação da legenda não se concretize na Bahia, o seu destino será o Partido Social Democrata (PSD).

"O chance de o PL ser criado é de 99%. Sair do partido nunca é uma coisa boa. Passei 20 anos no PSDB, seis no PDT e vou procurar novos rumos. Tudo que você comete erros você paga. O PSDB me chamou várias vezes pra ser presidente, eu não quis. Quando você não tem o controle do partido, você não tem a força. Eu fui 7 vezes presidente da alba, duas vezes o deputado mais votado da história da Bahia. Cada um vai seguir seu rumo, vou tomar o meu. Se eu ão for pro PL, não for criado, vou ver que partido da base do governador Rui Costa eu vou, provavelmente o PSD”, disse.

Ainda segundo Nilo, o seu objetivo é o senado. “Todo mundo sabe que eu vou trabalhar no sentido de conquistar as condições objetivas de ser senador em 2018. Então, vou pro de Otto, porque Otto já é senador por 8 anos, então ele não precisa da vaga agora. Me dou muito bem com Otto Alencar, gosto muito, mas já acertei para ir pro PL, partido de quem vou ser o presidente”, afirmou.

Notícias relacionadas