Política

Odebrecht e Braskem criaram fundação só para repassar propina de US$ 100 milhões

Ex-diretor da Odebrecht, Luiz Eduardo da Rocha Soares contou em delação que a construtora e a Braskem criaram a fundação em Andorra para pagar propina de US$ 100 milhões para o empresário baiano Frank Geyer Abubakir. A operação funcionava através de chamadas “empresas de papel” abertas em paraísos fiscais [Leia mais...]

[Odebrecht e Braskem criaram fundação só para repassar propina de US$ 100 milhões]
Foto : Odebrecht/Divulgação

Por Bárbara Silveira no dia 19 de Abril de 2017 ⋅ 08:57

Ex-diretor da Odebrecht, Luiz Eduardo da Rocha Soares, contou em delação que a construtora e a Braskem criaram a fundação em Andorra para pagar propina de US$ 100 milhões para o empresário baiano Frank Geyer Abubakir. A operação funcionava através de chamadas “empresas de papel” abertas em paraísos fiscais.

Em reportagem publicada nesta quarta-feira (19), o jornal O Estado de S. Paulo lembrou que em 2010, ano que a Braskem comprou o controle da petroquímica Quattor e se tornou a maior companhia do setor, foi necessária a abertura da fundação internacional, que serviu para o pagamento ilegal de US$ 100 milhões a Abubakir, principal acionista da Quattor. Nenhum dos acionistas da empresa, inclusive a Petrobras, soube da operação. A família do empresário Abubakir é conhecida pelas milhares de obras de arte que mantinha na Casa Geyer, no Rio de Janeiro, acervo que foi doado ao Museu de Petrópolis.

Notícias relacionadas

['Bolsonaro atira pelas costas nos seus soldados', diz Bebianno]
Política

'Bolsonaro atira pelas costas nos seus soldados', diz Bebianno

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Agosto de 2019 ⋅ 12:20 em Política

Em entrevista ao Estadão, ex-ministro também disse acreditar que indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador serve para atender a um "capricho" do filho do presidente