Política

Palocci diz que está disposto a revelar ‘nomes e operações do interesse da Lava Jato\'

O ex-ministro dos governos Lula e Dilma Antonio Palocci se pronunciou nesta quinta-feira (20) durante seu interrogatório na Operação Lava Jato e disse estar disposto a fazer uma oferta enigmática ao juiz federal Sérgio Moro. Ao fim do depoimento, o petista sugeriu entregar informações ‘que vão ser certamente do interesse da Lava Jato’. [Leia mais...]

[Palocci diz que está disposto a revelar ‘nomes e operações do interesse da Lava Jato\']
Foto : Reprodução

Por Matheus Simoni no dia 20 de Abril de 2017 ⋅ 15:13

O ex-ministro dos governos Lula e Dilma Antonio Palocci se pronunciou nesta quinta-feira (20) durante seu interrogatório na Operação Lava Jato e disse estar disposto a fazer uma oferta enigmática ao juiz federal Sérgio Moro. Ao fim do depoimento, o petista sugeriu entregar informações ‘que vão ser certamente do interesse da Lava Jato’. 'Fico à sua disposição hoje e em outros momentos, porque todos os nomes e situações que eu optei por não falar aqui, por sensibilidade da informação, estão à sua disposição o dia que o sr. quiser. Se o sr. estiver com a agenda muito ocupada, a pessoa que o sr. determinar, eu imediatamente apresento todos esses fatos com nomes, endereços, operações realizadas e coisas que vão ser certamente do interesse da Lava Jato', disse Palocci.

Durante o depoimento, que durou cerca de duas horas, o ex-ministro declarou que nunca pediu recursos financeiros para empresas na condição do cargo que atuava, nem fora do Brasil, e que não operou caixa 2, mas que sabe de sua existência em todas as campanhas. 'Não me sinto na condição de falar o que todo mundo está falando, que ‘nada existiu e que foi aprovado nos tribunais’, todo mundo sabe que houve caixa 2 em todas as campanhas', declarou o ex-ministro.

Palocci também se defendeu da acusação do Ministério Público Federal (MPF) que lhe aponta como sendo o “Italiano” na planilha de pagamento de propinas da Odebrecht. Utilizando fotos e e-mails juntados pela defesa, Palocci argumentou que ele não seria a pessoa que recebeu o codinome. Entre eles está uma mensagem interceptada no e-mail de Marcelo Odebrecht que afirma que “italiano” não estava na diplomação da ex-presidente Dilma Rousseff e apresentou fotos mostrando que ele estava na cerimônia.

Confira o depoimento:

 

Comentarios

Notícias relacionadas

[Aliados pressionam Neto a indicar Bruno Reis como vice de Zé Ronaldo]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Aliados pressionam Neto a indicar Bruno Reis como vice de Zé Ronaldo

Por Rodrigo Daniel Silva/Evilásio Júnior no dia 24 de Maio de 2018 ⋅ 12:00 em Política

Em caso de recusa, um plano B avaliado pelo grupo seria o presidente da Câmara, Leo Prates, que vai tentar uma cadeira na Assembleia Legislativa e já bateu pé firme ao ne...

[Defesa diz que Delúbio irá se entregar à PF]
Política

Defesa diz que Delúbio irá se entregar à PF

Por Metro1 no dia 24 de Maio de 2018 ⋅ 11:00 em Política

Ele foi condenado a 6 anos de reclusão na Operação Lava Jato e teve prisão decretada pelo juiz federal Sérgio Moro ontem

[TRE-BA nega pedido para barrar carreata pró-Bolsonaro]
Política

TRE-BA nega pedido para barrar carreata pró-Bolsonaro

Por Alexandre Galvão no dia 24 de Maio de 2018 ⋅ 09:40 em Política

"Contudo, não se identifica estritamente a partir desta convocação que esteja subtendida que será realizada passeata ou ato que caracterize verdadeira propaganda eleitora...

[Juiz manda Gualberto excluir jingle de todas as redes sociais]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Juiz manda Gualberto excluir jingle de todas as redes sociais

Por Alexandre Galvão no dia 24 de Maio de 2018 ⋅ 08:40 em Política

A peça, formulada pelo advogado Neomar Filho, ressalta que o texto que acompanha a canção indica uma preparação "para entrar no clima da nossa caminhada ao governo do Est...

[PSC ameaça lançar candidatura avulsa de Lázaro ao Senado]
PolíticaELEIÇÕES 2018

PSC ameaça lançar candidatura avulsa de Lázaro ao Senado

Por Metro1 no dia 24 de Maio de 2018 ⋅ 07:10 em Política

Deputado federal já disse que, caso a empreitada à Alta Câmara do Congresso não seja vitoriosa, ele pode ser postulante a prefeito de Feira de Santana em 2020