Política

MK comenta crise política no país: “Vivemos uma época de trevas”

Mário Kertész comentou na manhã desta segunda-feira (10) na Rádio Metrópole, a crise política vivida no Brasil. Segundo ele, a crise foi agravada pela “absoluta falta de governo” da presidente Dilma Rousseff (PT). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Matheus Morais no dia 10 de Agosto de 2015 ⋅ 07:29

Mário Kertész comentou na manhã desta segunda-feira (10) na Rádio Metrópole, a crise política vivida no Brasil. Segundo ele, a crise foi agravada pela “absoluta falta de governo” da presidente Dilma Rousseff (PT). “Justamente com aquela que foi apontada pelo ex-presidente Lula como a grande gerente, a mulher que ia fazer tudo aquilo que o Brasil precisava, tanto que ele saiu com a popoularidade coim mais de 80%. Curioso é como está hoje. Segundo amigos, o próprio Lula tem se queixado que tem medo de sair de casa, medo de ser vaiado. Acho que no próximo dia 16 vamos ter  uma grande manifestação no país. Talvez na Bahia não. Aqui as pessoas resolvem todos seus problemas na mesa de bar”, afirmou.

“Quando estourou o escândalo do mensalão, com o depoimento de Duda Mendonça, todo mundo achava que Lula não ia continuar. Ele phegou a pensar em renunciar, ele parou de sangrar e acabo se reelegendo, até que o ministro Joaqueim Barbosa conseguiu o feito de colocar os políticos na cadeia”, completou.

Ainda de acordo com MK, houve relatos que gente ligada ao Estado da Bahia também foi beneficiada com o Mensalão. “Não posso provar, mas deve ser gente que tira a maior onda e hoje posa aí de bonito. O Frei Betto disse quie tem medo que Dilma renuncie, o fato é que o pais éstá ingovernável, a presidente convocou uma reunião com vários ministros ontem, muitos se revoltaram, mas fica lá quem quer. Eduardo Cunha continua jogando duríssmo para ver o circo pegar fogo”, disse.

“Estamos vivendo uma época de trevas, só a Lava Jato para salvar, me lembro de Graça Foster, aquela senhora que assumiu a Petrobras com a promessa de ser a réplica de Dilma, quando surgiu a primeira denúncia na Petrobras, ela disse que examinou e que nada apareceu.  A sorte da gente vai ser muita gente fazer a delação premiada, tem muita gente do PT que não está dormimdo bem, e não só do PT, da boquinha também”, concluiu.

Notícias relacionadas

[Sem Wagner e Coronel, Rui reúne hoje conselho político]
Política

Sem Wagner e Coronel, Rui reúne hoje conselho político

Por Alexandre Galvão no dia 19 de Novembro de 2018 ⋅ 07:43 em Política

A expectativa é de que o petista, e os líderes dos partidos, estabeleçam critérios objetivos para o sucessor de Angelo Coronel (PSD), que se elegeu senador

[Economista pode presidir Petrobras ]
Política

Economista pode presidir Petrobras 

Por Alexandre Galvão no dia 19 de Novembro de 2018 ⋅ 06:17 em Política

Castello Branco é visto como homem de confiança de Guedes e seu nome já era cogitado para o posto