Política

Janot acusa Temer de corrupção, obstrução de Justiça e organização criminosa

No pedido de abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer, o procurador-geral da República Rodrigo Janot acusa o peemedebista de envolvimento com pelo menos três crimes: corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa. O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de investigação contra Temer. [Leia mais...]

[Janot acusa Temer de corrupção, obstrução de Justiça e organização criminosa]
Foto : Marcelo Camargo / Agência Brasil

Por Laura Lorenzo no dia 19 de Maio de 2017 ⋅ 14:10

No pedido de abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer, o procurador-geral da República Rodrigo Janot acusa o peemedebista de envolvimento com pelo menos três crimes: corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa. O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de investigação contra Temer.

'Os elementos de prova revelam também que alguns políticos continuam a utilizar a estrutura partidária e o cargo para cometerem crimes em prejuízo do Estado e da sociedade. Com o estabelecimento de tarefas definidas, o núcleo político promove interações diversas com agentes econômicos, com o objetivo de obter vantagens ilícitas, por meio da prática de crimes, sobretudo com corrupção. Há, pois, também o indicativo da prática do delito organização criminosa previsto na lei 12.850/2013', acusou Janot.

O pedido para investigação de Temer foi feito após Joesley Batista, dono da JBS, entregar ao Ministério Público (MP) uma gravação em que o peemedebista dá aval para o empresário comprar, com mesadas, o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. O pedido de abertura de inquérito foi feito a partir da delação premiada dos donos da JBS. O senador Aécio Neves também foi citado no escândalo.

Comentarios

Notícias relacionadas