Política

Renan diz que impeachment de Dilma seria “colocar fogo no Brasil”

Após reunião com ministros do governo federal, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), disse que a discussão de um possível impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) não é prioritária. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Revista Exame

Por Matheus Morais no dia 11 de Agosto de 2015 ⋅ 11:29

Após reunião com ministros do governo federal, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), disse que a discussão de um possível impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) não é prioritária. “As pessoas perguntam sobre impedimento, sobre apreciação de contas dos governos anteriores e desse governo, e eu digo que isso não é prioritário. Porque, na medida que o Congresso tornar isso prioritário, nós estaremos pondo fogo no Brasil. E não é isso que a sociedade quer de nós”, afirmou.

Na reunião foram definidos com os ministros da área econômica e outros uma agenda para a retomada do crescimento econômico e outras reformas que sejam necessárias para o país após a crise. Na opinião dele, essa agenda deve ser ampla a ponto de reunir as forças políticas em torno dela.

“Eu acho que agenda tem que tratar de tudo, da reforma do estado, da coalizão, da sustentação congressual. Eu acho que esse modelo político, essa coalizão, ela já se esgotou no tempo. É preciso dar fundamento ao ajuste, à agenda da retomada do crescimento, sinalizar claramente com relação ao futuro do Brasil e construir uma convergência com relação a esse futuro”, disse o presidente do Senado.

Notícias relacionadas

[Haddad diz que não vai conceder indulto a Lula]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Haddad diz que não vai conceder indulto a Lula

Por Rodrigo Daniel Silva no dia 18 de Setembro de 2018 ⋅ 10:00 em Política

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e o ex-ministro José Dirceu já se manifestaram a favor de que o ex-presidente seja perdoado