Política

Governo aposta em acordo sobre FGTS para minimizar prejuízos aos cofres federais

O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), afirmou nesta terça-feira (18) que o governo negocia com a Casa um entendimento sobre o projeto que muda a correção do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Para Guimarães, o texto final será uma "média" entre o que quer o governo e o que defendem os deputados. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução

Por Stephanie Suerdieck no dia 18 de Agosto de 2015 ⋅ 15:55

O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), afirmou nesta terça-feira (18) que o governo negocia com a Casa um entendimento sobre o projeto que muda a correção do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Para Guimarães, o texto final será uma "média" entre o que quer o governo e o que defendem os deputados. Nesta segunda-feira (17), o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), declarou que colocaria o projeto para votação nesta terça, “por bem ou por mal”. "Não há ainda uma decisão final, mas eu acredito que nas próximas 24 horas encontraremos uma construção coletiva, que envolve o relator, o governo e o entendimento geral da Casa", disse Guimarães.

O texto que aguarda votação prevê que as contas do fundo passem por um índice maior, equivalente ao da poupança. Atualmente, o rendimento do FGTS é de 3% mais a Taxa Referencial (TR). Pela proposta defendida pelos deputados autores do projeto e pelo presidente da Casa, o rendimento dobraria, alcançando mais de 6% ao ano. Isso faria o dinheiro do trabalhador render mais, porém, o projeto é considerado uma das "pautas-bombas", pois reduziria o caixa de programas habitacionais, que se financiam pelo fundo, a exemplo do Minha Casa, Minha Vida. Se aprovada, a nova taxa valerá para os depósitos feitos a partir de 2016. "Eu acredito que a qualquer momento nós anunciaremos o entendimento que preserve o fundo e garanta a continuidade do Minha Casa, Minha Vida", acrescentou.

O deputado participou na manhã desta terça de uma reunião sobre o tema com o vice-presidente Michel Temer, o relator do projeto, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e outros seis ministros. A reunião aconteceu na residência oficial do vice-presidente. Ao final do encontro, Temer disse a jornalistas que há um processo de negociação no governo sobre o FGTS e que as conversas estão "caminhando bem". "A reunião foi boa e eu acho que o FGTS está sendo negociado. O governo está examinando e acho que as coisas estão caminhando bem", declarou.

Notícias relacionadas

[Justiça manda soltar Joesley Batista ]
Política

Justiça manda soltar Joesley Batista 

Por Alexandre Galvão no dia 12 de Novembro de 2018 ⋅ 14:44 em Política

Advogado do dono da JBS, Perpaolo Bottini afirmou que a soltura demonstra "a ilegalidade e gravidade da prisão"