Política

Neto pede para famílias deixarem áreas de risco; reunião vai avaliar estragos

[Neto pede para famílias deixarem áreas de risco; reunião vai avaliar estragos]
Foto : Divulgação/Agecom

Por João Brandão no dia 11 de Maio de 2015 ⋅ 12:18

O prefeito de Salvador, ACM Neto, pediu, no último domingo (10), para que as famílias que residem em áreas de risco deixem suas residências no menor tempo possível. De acordo com a texto da Prefeitura, "todo o suporte necessário está assegurado para essas famílias, desde a concessão do Aluguel Social, aporte financeiro de R$ 300,00 mensais, que pode chegar a um ano, até o Auxílio-Emergência, que pode ser de até três salários mínimos para quem tiver perdas materiais devido às chuvas".

Desde abril foram concedidos 774 aluguéis sociais e 96 auxílios-emergência pela Prefeitura. Neto convocou uma reunião de emergência no início da noite de domingo, em seu gabinete, no Palácio Thomé de Souza, para avaliar os danos das chuvas e traçar novas estratégias para amenizar os impactos. Participaram da reunião secretários como Marcílio Bastos (Manutenção), Luiz Carrera (Casa Civil), Paulo Fontana (Infraestrutura e Defesa Civil), José Antônio Rodrigues Alves (Saúde), Bruno Reis (Promoção Social), Rosemma Maluf (Ordem Pública), além do superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller, do coordenador das Prefeituras-Bairro, Reinaldo Braga Filho, do presidente da Limpurb, Tiago Correia, do chefe de Gabinete, João Roma, entre outros.

Notícias relacionadas

[Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio]
Política

Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio

Por Marina Hortélio no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 16:00 em Política

Inquérito que investiga o senador por suposto recebimento de valores indevidos pela Construtora Norberto Odebrecht para a campanha eleitoral de 2014

[Moro pede exoneração do cargo de juiz ]
Política

Moro pede exoneração do cargo de juiz 

Por Alexandre Galvão no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 13:33 em Política

No documento, o futuro ministro da Justiça alegou que é notório o convite e aceite para a assumir a pasta em 2019