Política

Cunha tenta levar investigação da Lava Jato para o STF; pedido é negado

O relator das investigações da Lava-Jato, o ministro Teori Zavascki, negou nesta quarta-feira (19) o pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que solicitou a retirada da Justiça Federal do Paraná uma ação penal que o envolve em irregularidades na Petrobras.[Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Foto: Antônio Cruz

Por Bárbara Gomes no dia 19 de Agosto de 2015 ⋅ 16:47

O relator das investigações da Lava-Jato, o ministro Teori Zavascki, negou nesta quarta-feira (19) o pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que solicitou a retirada da Justiça Federal do Paraná uma ação penal que o envolve em irregularidades na Petrobras. 

Cunha pretendia transferir para o Supremo Tribunal Federal a investigação de corrupção na contratação de navios-sonda entre a Samsung Heavy Industries e a diretoria Internacional da Petrobras. A defesa do presidente da Câmara usou como argumento que a Constituição Federal dá a parlamentares o direito ao foro privilegiado, devendo ser investigado pelo STF. 

Em delação premiada, em 2015, Júlio Camargo negou o envolvimento de Cunha na corrupção da Petrobras. Mas nos últimos depoimentos, Camargo afirmou que o deputado recebeu US$ 5 milhões em propina. Vale lembrar que Cunha fez o pedido de trasferência da investigação para o STF antes da acusação do lobista.

 

Notícias relacionadas

[Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares]
Política

Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, negou que a medida seja uma forma de anistia: "No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do...

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...

[Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS]
Política

Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:28 em Política

Eleito em 1989 presidente da República, o primeiro eleito pelo voto popular após a ditadura militar, Collor comandou o país entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment