Política

Dilma diz a Lula que não pretende concorrer a cargo nenhum em 2018

Se depender da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), ela estará bem longe das eleições de 2018. De acordo com publicação da revista Época da última quarta-feira (30), a petista disse ao ex-presidente Lula não ter pretensão alguma de se candidatar a cargo algum em 2018 [Leia mais...]

[Dilma diz a Lula que não pretende concorrer a cargo nenhum em 2018]
Foto : Roberto Stuckert Filho/PR

Por Bárbara Silveira no dia 31 de Agosto de 2017 ⋅ 15:28

Se depender da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), ela estará bem longe das eleições de 2018. De acordo com publicação da revista Época da última quarta-feira (30), a petista disse ao ex-presidente Lula não ter pretensão alguma de se candidatar a cargo algum em 2018.

Um ano após o impeachment que culminou na cassação do seu mandato, Dilma não é vista com bons olhos por parte dos filiados ao Partido dos Trabalhadores que acreditam que a ex-presidente é culpada pelo fracasso do partido - o que pode impedir a volta de Lula ao poder.

 

Notícias relacionadas

[Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares]
Política

Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, negou que a medida seja uma forma de anistia: "No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do...

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...

[Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS]
Política

Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:28 em Política

Eleito em 1989 presidente da República, o primeiro eleito pelo voto popular após a ditadura militar, Collor comandou o país entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment