Política

Janot diz que não age por "coragem" e que tem medo de decepcionar o MP

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta terça-feira (5) que atitudes que tem tomado não são por "coragem", mas por "medo de errar". [Leia mais [...]

[Janot diz que não age por
Foto : José Cruz/EBC/FotosPúblicas

Por Luiza Leão no dia 05 de Setembro de 2017 ⋅ 14:46

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta terça-feira (5) que atitudes que tem tomado não são por "coragem", mas por "medo de errar". Segundo Janot, antes de anunciar que iria revisar a delação da JBS, na segunda-feira (5), foi chamado de "um homem de muita coragem", título que negou, porque, de acordo com ele, a motivação é o medo de decepcionar o Ministério Público.

"Ontem foi um dos dias mais tensos, um dos maiores desafios desse período. Alguém disse para mim: "Você é um homem de muita coragem". Eu pensei: "Será que sou?" E eu pensei que não tenho coragem nenhuma. Eu tenho é medo. O medo nos faz alerta. Tenho medo de quê? De errar muito e decepcionar as instituições. As questões que enfrentei, enfrentei por medo de errar, de me omitir e de decepcionar a instituição, mais do que por coragem de enfrentar os desafios", afirmou durante reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal.

Ainda de acordo com o procurador-geral, o final de seu mandato tem sido semelhante a uma montanha-russa. No entanto, apenas com descidas e sem pausas para respirar.

Notícias relacionadas