Política

Eliana Calmon lembra previsão sobre Lava Jato no Judiciário: "Não é formado por santos"

Quase cinco meses depois de afirmar que a Operação Lava Jato iria afetar o Judiciário, a ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon, lembrou o depoimento dado ao jornal Folha de S. Paulo. [Leia mais...]

[Eliana Calmon lembra previsão sobre Lava Jato no Judiciário:
Foto : Reprodução/Agência Brasil

Por Gabriel Nascimento no dia 06 de Setembro de 2017 ⋅ 09:29

Quase cinco meses depois de afirmar que a Operação Lava Jato iria afetar o Judiciário, a ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon, lembrou o depoimento dado ao jornal Folha de S. Paulo. "Eu já fazia uma previsão de que o Judiciário não ficaria fora de tudo isso que está acontecendo. Estamos passando a limpo os poderes da República, Judiciário. Tem muitas culpas, afinal de contas, não é um poder formado por santos. É formado por pessoas tiradas dessa sociedade que está corrompida nos seus valores éticos", disse durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (6).

A jurista comentou o processo de investigação aberto pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot para apurar a conduta do ex-procurador Marcello Miller — que migrou do cargo para o escritório de advocacia responsável pela defesa da JBS —, e a possível anulação do acordo de delação. "Causa estranheza a precipitação do Ministério Público. Porque ficou uma interrogação grande na participação dos delatores. Sempre houve um questionamento das pessoas sensatas. Como é que essas pessoas conseguiram tantas benesses, construíram um império com dinheiro do BNDES e, de repente, surgem com delações e dão tchau em um avião à jato?", questionou.  

Notícias relacionadas