Política

Após acusação de Palocci, Lula se defende e diz que ex-ministro não tem "compromisso com a verdade"

Após ser acusado pelo ex-ministro Antonio Palocci em ação sobre propinas da Odebrecht, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se manifestou, na noite desta quarta-feira (6), por meio de nota em suas redes sociais. De acordo com Lula, a versão contada por Palocci é "contraditória" [Leia mais...]

[Após acusação de Palocci, Lula se defende e diz que ex-ministro não tem
Foto : Paulo Pinto/Fotos Públicas

Por Paloma Morais no dia 06 de Setembro de 2017 ⋅ 18:34

Após ser acusado pelo ex-ministro Antonio Palocci em ação sobre propinas da Odebrecht, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se manifestou, na noite desta quarta-feira (6), por meio de nota em suas redes sociais. De acordo com Lula, a versão contada por Palocci é "contraditória". O pestista afirmou ainda que o ex-ministro "repete o papel de réu que não só desiste de se defender como, sem o compromisso de dizer a verdade, valida as acusações do Ministério Público para obter redução de pena".

"A história que Antonio Palocci conta é contraditória com outros depoimentos de testemunhas, réus, delatores da Odebrecht e provas e que só se compreende dentro da situação de um homem preso e condenado em outros processos pelo juiz Sérgio Moro que busca negociar com o Ministério Público e o próprio juiz Moro um acordo de delação premiada que exige que se justifique acusações falsas e sem provas contra o ex-presidente Lula", diz a nota.

Na oportunidade, o ex-presidente ainda aproveitou para novamente chamar o juiz Sérgio Moro de “parcial”. “Processos fora da devida jurisdição com juiz de notória parcialidade, sentenças que não apontam nem ato de corrupção nem benefício recebido, negociações secretas de delação com réus presos que mudam versões de depoimento em busca de acordos com o juízo explicitam cada vez mais que os processos contra o ex-presidente Lula na Operação Lava Jato em Curitiba não obedecem o devido processo legal”, disse.

Lula finaliza o texto reafirmando que “jamais solicitou ou recebeu qualquer terreno da empresa Odebrecht e jamais teve qualquer outra sede que não o sobrado onde funciona no bairro do Ipiranga em residência adquirida em 1991”.

Confira a nota na íntegra:

 

Notícias relacionadas

[Sem acordo, CCJ adia mais uma vez reforma da Previdência]
Política

Sem acordo, CCJ adia mais uma vez reforma da Previdência

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Abril de 2019 ⋅ 12:48 em Política

A proposta enviada ao parlamento em fevereiro pelo governo Jair Bolsonaro é considerada crucial pela equipe econômica para a recuperação das contas públicas