Política

Advogado de Geddel diz que direitos da defesa estão sendo desrespeitados

O advogado responsável pela defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), Gamil Föppel, criticou a decisão do juiz federal Vallisney de Oliveira, que autorizou a 4ª fase da operação Cui Bono e decidiu pela prisão do peemedebista. Segundo a defesa de Geddel, acesso a autos está sendo restringido após a prisão preventiva.[Leia mais...]

[Advogado de Geddel diz que direitos da defesa estão sendo desrespeitados]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Matheus Simoni no dia 08 de Setembro de 2017 ⋅ 16:19

O advogado responsável pela defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), Gamil Föppel, criticou a decisão do juiz federal Vallisney de Oliveira, que autorizou a 4ª fase da operação Cui Bono e decidiu pela prisão do peemedebista. Segundo a defesa de Geddel, o acesso aos autos está sendo restringido após a prisão preventiva.

"Pesa dizer que o direito de defesa e, especialmente, as prerrogativas da advocacia, conferidas por lei, sejam tão reiteradamente desrespeitadas, impedindo-se o acesso a elementos de prova, já documentados nos autos", declarou Föppel, por meio de nota. Ainda de acordo com o advogado, a defesa irá se manifestar assim que tiver acesso aos documentos que basearam o pedido de prisão.

Confira a nota:

A defesa técnica de Geddel Vieira Lima informa que somente se manifestará
quando, finalmente, lhe for franqueado acesso aos autos, especialmente aos
documentos que são mencionados no decreto prisional.
Pesa dizer que o direito de defesa e, especialmente, as prerrogativas da advocacia,
conferidas por lei, sejam tão reiteradamente desrespeitadas, impedindo-se o
acesso a elementos de prova, já documentados nos autos.

Salvador/BA, 8 de setembro de 2017.

Gamil Föppel
OAB-Ba 17.828

Notícias relacionadas

[Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares]
Política

Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, negou que a medida seja uma forma de anistia: "No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do...

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...