Política

Vereador baiano do PT fala em pegar em armas por Dilma

O presidente da Câmara Municipal de Porto Seguro, no sul da Bahia, o vereador Élio Brasil (PT) levantou a possibilidade de que, se for necessário, vai 'pegar em armas' para defender o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação

Por Matheus Simoni no dia 21 de Agosto de 2015 ⋅ 16:59

O presidente da Câmara Municipal de Porto Seguro, no sul da Bahia, o vereador Élio Brasil (PT) levantou a possibilidade de que, se for necessário, vai 'pegar em armas' para defender o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, a mensagem foi direcionada a um grupo de aliados e eleitores por meio do WhatsApp. A publicaçao foi feita durante as manifestações contra o impeachment da presidente realizadas em Salvador na ultima quinta-feira (20).

"Se for preciso pegaremos em armas para defender a democracia e o governo eleito democraticamente pelo povo. E só pra lembra [sic] em 64 já fizemos para ter essa democracia que temos hoje", escreveu Elio. Ainda segundo a Folha, o vereador confirmou que a mensagem foi enviada por ele. No entanto, o petista defende que usou a expressão "pegar em armas" no sentido figurado.

A expressão foi a mesma adotada pelo presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, em um discurso na última semana em defesa ao governo Dilma.

Notícias relacionadas

[Moro deve trocar comando da Polícia Federal]
Política

Moro deve trocar comando da Polícia Federal

Por Marina Hortélio no dia 17 de Novembro de 2018 ⋅ 08:30 em Política

De acordo com a Folha, o atual superintendente da PF do Paraná, o delegado Maurício Valeixo, é um dos principais cotados para assumir o posto de diretor-geral da PF ou in...

[Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio]
Política

Dodge pede mais 60 dias para investigação sobre Aécio

Por Marina Hortélio no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 16:00 em Política

Inquérito que investiga o senador por suposto recebimento de valores indevidos pela Construtora Norberto Odebrecht para a campanha eleitoral de 2014