Política

"Que saiba morrer quem viver não soube", diz Gilmar sobre fim do mandato de Janot

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes citou o poeta português Manuel Bocage (1765-1805) nesta quinta-feira (14) para comentar o fim do mandato do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que acaba no dia 17 de setembro. Na próxima segunda-feira (18), Raquel Dodge substitui Janot no comando da Procuradoria-Geral da República. [Leia mais...]

[
Foto : Fellipe Sampaio/SCO/STF

Por Matheus Simoni no dia 14 de Setembro de 2017 ⋅ 15:07

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes citou o poeta português Manuel Bocage (1765-1805) nesta quinta-feira (14) para comentar o fim do mandato do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que acaba no dia 17 de setembro. Na próxima segunda-feira (18), Raquel Dodge substitui Janot no comando da Procuradoria-Geral da República. "Eu diria em relação ao procurador-geral Janot uma frase de Bocage: "Que saiba morrer quem viver não soube [sic]"", disse Gilmar Mendes, desafeto declarado de Janot.

O ministro cita o poema "Meu ser evaporei na lida insana", Bocage escreveu: "Saiba morrer o que viver não soube."

No mês passado, Janot solicitou à ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, a suspeição de Gilmar Mendes dos casos envolvendo os empresários do setor de transportes Jacob Barata Filho e Lélis Marcos Teixeira. O pedido ainda não foi julgado.

Notícias relacionadas