Política

PGR deve rescindir acordo de delação e incluir Joesley em denúncia contra Temer

A Procuradoria-Geral da República (PGR) quer protocolar a nova denúncia contra o presidente Michel Temer e a rescisão do acordo de delação dos executivos do grupo J&F ainda nesta quinta-feira (14). A decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre o acordo acaba por revogar a imunidade penal concedida inicialmente ao empresário Joesley Batista, dono do grupo, e aos demais executivos da empresa. [Leia mais...]

[PGR deve rescindir acordo de delação e incluir Joesley em denúncia contra Temer]
Foto : Rovena Rosa/Agência Brasil

Por Laura Lorenzo no dia 14 de Setembro de 2017 ⋅ 16:20

A Procuradoria-Geral da República (PGR) quer protocolar a nova denúncia contra o presidente Michel Temer e a rescisão do acordo de delação dos executivos do grupo J&F ainda nesta quinta-feira (14). De acordo com o jornal Estado de S. Paulo, a decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre o acordo acaba por revogar a imunidade penal concedida inicialmente ao empresário Joesley Batista, dono do grupo, e aos demais executivos da empresa. Com isso, Joesley deverá ser denunciado por obstrução da Justiça na mesma ação que Temer,

O peemedebista será denunciado ao Supremo Tribinal Federal pelas práticas de organização criminosa e obstrução da Justiça. Em junho, Janot ofereceu denúncia contra Temer por corrupção passiva, mas a Câmara dos Deputados barrou a acusação. Também serão denunciados por organização criminosa aliados de Temer ligados ao núcleo do PMDB. As acusações contra o peemedebista são baseadas nas delações dos executivos do grupo J&F, que entregaram à PGR uma gravação de conversa com Temer no Palácio do Jaburu, e do operador Lúcio Funaro. A denúncia utiliza ainda elementos colhidos pela Polícia Federal em investigação sobre o chamado “quadrilhão do PMDB da Câmara”.

Notícias relacionadas