Política

Joesley diz que retirada de imunidade foi "covardia de Janot"

O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, fez duras críticas ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em depoimento à 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo nesta sexta-feira (15). Ele foi ouvido em uma audiência de custódia na investigação sobre uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro. [Leia mais...]

[Joesley diz que retirada de imunidade foi
Foto : Rovena Rosa/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 15 de Setembro de 2017 ⋅ 17:26

O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, fez duras críticas ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em depoimento à 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo nesta sexta-feira (15). Ele foi ouvido em uma audiência de custódia na investigação sobre uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro. O depoimento durou 38 minutos e a Justiça manteve a prisão preventiva dele. "Eu fui mexer com os poderosos, com os donos do poder, e estou aqui agora", disse Joesley, em tom de arrependimento. "Acho que o procurador foi muito questionado pelo motivo da nossa imunidade. Acho que foi um ato de covardia dele. Nós fizemos a maior a mais importante colaboração da história", declarou.

Indagado pelo juiz sobre o motivo do comentário, já que a audiência de custódia trata-se do processo da bolsa de valores e ações da J&F, ele argumentou: "É a primeira vez que estou tendo oportunidade de falar", afirmou.

Segundo o advogado Pierpaolo Bottini, responsável pela defesa de Joesley, a prisão do seu cliente foi ilegal. "Nós achamos absolutamente frágil essa prisão. Nós estamos impetrando hoje um habeas corpus do Superior Tribunal de Justiça para tentar rever, para corrigir essa ilegalidade dessa prisão, dessa custódia."

Notícias relacionadas