Política

Governo liberou R$ 65 milhões em emendas no dia que Temer sofreu segunda denúncia, diz Rede

Um levantamento feito pelo o partido Rede Sustentabilidade aponta que no dia em que a Procuradoria Geral da República denunciou o presidente Michel Temer pela segunda vez, em 14 de setembro, o governo liberou R$ 65 milhões em emendas parlamentares. Este teria sido o dia que os deputados mais receberam dinheiro no o mês. [Leia mais...]

[Governo liberou R$ 65 milhões em emendas no dia que Temer sofreu segunda denúncia, diz Rede]
Foto : Beto Barata/PR

Por Laura Lorenzo no dia 25 de Setembro de 2017 ⋅ 19:30

Um levantamento feito pelo o partido Rede Sustentabilidade aponta que no dia em que a Procuradoria Geral da República denunciou o presidente Michel Temer pela segunda vez, em 14 de setembro, o governo liberou R$ 65 milhões em emendas parlamentares. Este teria sido o dia que os deputados mais receberam dinheiro no o mês. Ainda de acordo com os dados, o segundo dia em que houve mais pagamento de emendas foi em 19 de setembro, um dia antes doo Supremo Tribunal Federal (STF) concluir o julgamento que liberou o envio da denúncia para a Câmara.

O deputado Alessandro Molon, que coletou os números, afirmou que vai ao Ministério Público denunciar a compra de votos para barrar a denúncia contra Temer: \"Os primeiros sinais do governo mostram que ele vai tentar repetir esse comportamento. Nós vamos denunciar ao ministério público e fiscalizar dia a dia. Lamentavelmente, tudo indica que o que o governo quer é garantir votos liberando emendas\", disse o parlamentar.

Em agosto, a média era de quase R$ 4 milhões por dia; em setembro, o total mais que dobrou, subindo pra R$ 8,6 milhões, o que representou um aumento de 126% Entre esses dois meses, a liberação de emendas subiu 60%.

Notícias relacionadas

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...

[Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS]
Política

Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:28 em Política

Eleito em 1989 presidente da República, o primeiro eleito pelo voto popular após a ditadura militar, Collor comandou o país entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment