Política

STF rejeita prisão de Aécio Neves; relator fala em "carreira política elogiável"

A maioria dos ministros da 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu rejeitar a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) para prender o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Quatro dos cinco ministros da turma votaram contra o pedido de prisão. [Leia mais...]

[STF rejeita prisão de Aécio Neves; relator fala em
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 26 de Setembro de 2017 ⋅ 19:11

A maioria dos ministros da 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu rejeitar a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) para prender o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Três dos cinco ministros da turma votaram contra o pedido de prisão. O relator do pedido na Corte, o ministro Marco Aurélio Mello, elogiou a carreira política do tucano ao decidir contra o envio de Aécio à prisão. Ele afirmou que o “afastamento de Aécio Neves não é compatível com parâmetros constitucionais”.

Mello ainda criticou o ministro Edson Fachin, chamando-o de “voz isolada”, por ter suspendido a atividade parlamentar do tucano. "O Supremo substituiu-se, na voz isolada do antigo relator, ao Senado Federal", disse Marco Aurélio.

O ministro dedicou parte do voto a exaltar Aécio Neves, conforme já havia feito quando revogou a decisão de Fachin. “Aécio é brasileiro nato, chefe de família e possui carreira política ‘elogiávelʹ”. “À sociedade e a Aécio Neves importam a higidez das instituições democráticas e respeitabilidade à Constituição. E não a feitura da justiça a ferro e fogo”, destacou. Os pedidos de prisão e de afastamento do mandato foram feitos no fim de julho pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Os ministros ainda vão decidir sobre o afastamento de Aécio do cargo de senador.

Notícias relacionadas