Política

Senado adia votação de proposta sobre maioridade penal

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado adiou nesta quarta-feira (27) a votação da Proposta de Emendas Constitucional (PEC) 33/2012, que reduz a maioridade penal em casos como homicídio doloso de 18 para 16 anos. [Leia mais...]

[Senado adia votação de proposta sobre maioridade penal]
Foto : Agência Senado

Por Matheus Morais no dia 27 de Setembro de 2017 ⋅ 12:31

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado adiou nesta quarta-feira (27) a votação da Proposta de Emendas Constitucional (PEC) 33/2012, que reduz a maioridade penal em casos como homicídio doloso de 18 para 16 anos. O adiamento foi sugerido pela senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) para estudar o assunto, em função de sua complexidade, o que foi acatado pela maioria.

O pedido foi feito após a fala do senador Magno Malta (PR-ES), que afirmou que o país não deve tratar \"homens que portam escopetas como crianças com chupetas\". \"A gente não analisa que, ao baixar a maioridade, não está fazendo essa responsabilização para a sociedade como um todo. A redução só vai recair sobre os menins pobres\", disse Gleisi.

O relator, senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), pediu ao presidente da CCJ, Edison Lobão (PMDB-MA), que retome a discussão sobre a PEC o quanto antes e que a suspensão não seja interpretada como a interrupção definitiva do debate.

Notícias relacionadas

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...

[Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS]
Política

Senador Fernando Collor anuncia filiação ao PROS

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:28 em Política

Eleito em 1989 presidente da República, o primeiro eleito pelo voto popular após a ditadura militar, Collor comandou o país entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment