Política

"A Bahia não pode ser uma terra de donos", diz Geddel sobre veto à CPI

Em entrevista à Rádio Metrópole na manhã desta terça-feira (25), o presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, falou sobre o veto de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar obras inacabadas do governo. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento no dia 25 de Agosto de 2015 ⋅ 10:10

Em entrevista à Rádio Metrópole na manhã desta terça-feira (25), o presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, falou sobre o veto à uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar obras inacabadas do governo. Geddel criticou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo (PDT). “Com todo carinho que eu tenho pelo deputado Marcelo Nilo, mas, Marcelo Nilo é bom nessa história de prestar serviço, mas ele quer prestar serviço para o governador Rui Costa. Não há outra explicação, você que tá me ouvindo já pode chegar a uma conclusão, tem 'maracutaia' no meio desse 'troço'”, afirmou.

“Porque se, 21 deputados de uma oposição, que, é pequena do ponto de vista numérico consegue as assinaturas pra fazer uma CPI e não querem abrir a CPI, qual é a razão? É medo que se descubra que existe problema nessas obras paradas? Que houve superfaturamento, desvio e não sobrou dinheiro pra completar? É medo que comprove claramente uma incopetência de um governo que fica anunciando coisas que não acontecem? É medo que se descubra que a CCR já está se queixando que tem R$ 1,5 bi pendurado e o metrô pode ter dificuldades? Não entendo isso! (…) A oposição tem sim que recorrer a justiça”, afirmou.

“Fica aqui o apelo a Marcelo Nilo no sentido de que é um homem do parlamento, um homem que foi oposição muito tempo, portanto sabe que CPI é um instrumento que precisa ser respeitado, a Bahia não pode ser uma terra de donos”, completou Geddel.

 

Notícias relacionadas

[Justiça manda soltar Joesley Batista ]
Política

Justiça manda soltar Joesley Batista 

Por Alexandre Galvão no dia 12 de Novembro de 2018 ⋅ 14:44 em Política

Advogado do dono da JBS, Perpaolo Bottini afirmou que a soltura demonstra "a ilegalidade e gravidade da prisão"