Política

“É o país da piada pronta”, comenta Mário Kertész sobre Fernando Collor

Diretamente de Florença, na Itália, Mário Kertész deu um pausa na sua viagem para comentar a sabatina feita com o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, no Senado na última quarta-feira (27). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira no dia 27 de Agosto de 2015 ⋅ 08:30

Diretamente de Florença, na Itália, Mário Kertész deu um pausa na sua viagem para comentar a sabatina feita com o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, no Senado na última quarta-feira (27).

Denunciado pelo Ministério Público Federal ao Supremo Tribunal Federal por corrupção e lavagem de dinheiro, na Operação Lava Jato, o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB) aproveitou a ocasião para questionar a corrupção no país e realizar inúmeras acusações contra Janot.  “Collor armou uma palhaçada (...) esse país já viveu coisas terríveis, esse homem é posto para fora com desonra e depois consegue voltar ao senado. Eu fico sem entender o que passa na cabeça de um cidadão como esse”, questiona MK.

Mário questionou ainda a falsa moralidade de outros senadores que, assim como Collor, estão envolvidos em inúmeros casos de corrupção e desvio de dinheiro público. “Nós estamos vendo muita gente tirando onda de paladino da moralidade. É o pais da piada pronta, como disse o macaco Simão”, disse lembrando a frase do jornalista e humorista José Simão.

Voltando ao clima de férias, Mário prometeu aos ouvintes da Metrópole mais uma transmissão pelo aplicativo Periscope. “Diretamente de Florença, na Itália, com um sol maravilhoso e obras de arte para passar 100 anos e ainda achar pouco (...)Mais tarde faço um Periscope, se der. Tem muita coisa por aqui para se  ver e amanha estou de volta à Milão”, disse.

Notícias relacionadas