Política

PF prende empresário ligado ao PT que tinha contratos de R$ 525 mi com a União

A Polícia Federal de Brasília prendeu o empresário do ramo de serviços gráficos e organização eventos Benedito Rodrigues, conhecido como Bené, nesta sexta-feira (29). As investigações da PF apontam que ele manteve R$ 525 milhões em contratos com órgãos do governo federal de 2005 a 2014. Ele foi preso junto com outros três sócios. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução

Por Juliana Almirante no dia 29 de Maio de 2015 ⋅ 13:02

A Polícia Federal de Brasília prendeu o empresário do ramo de serviços gráficos e organização eventos Benedito Rodrigues, conhecido como Bené, nesta sexta-feira (29). As investigações da PF apontam que ele manteve R$ 525 milhões em contratos com órgãos do governo federal de 2005 a 2014. Ele foi preso junto com outros três sócios.

O grupo é acusado de crime de associação criminosa, que prevê pena de um a três anos de prisão. Bené trabalhou em campanhas eleitorais do PT e estava em um avião apreendido pela PF em outubro de 2014, que carregava R$ 113 mil em espécie. Apesar de não haver mandado de prisão emitido pela Justiça Federal contra eles, a polícia resolveu prendê-los após apreender documentos na Operação Acrônimo.

O objetivo da operação é "localizar eventuais documentos, valores e mídias que possam esclarecer a suspeita de que os valores que circulavam nas contas de pessoas físicas e jurídicas ligadas aos investigados vinham da inexecução e de sobrepreço praticados pelo grupo em contratos com órgãos públicos federais". Foram expedidos 90 mandados de busca e apreensão em 60 empresas e 30 residências nos Estados de Minas Gerais, Goiás e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal.

Notícias relacionadas

[WhatsApp bane contas de agências por disparo de mensagens anti-PT]
PolíticaELEIÇÕES 2018

WhatsApp bane contas de agências por disparo de mensagens anti-PT

Por Matheus Simoni no dia 19 de Outubro de 2018 ⋅ 14:20 em Política

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a empresa exigiu também que essas agências parem de utilizar números de celulares obtidos pela internet para aumentar o alcance dos gr...