Política

Neto rebate Kannário: ‘Precisa se informar melhor antes de falar’

Depois do cantor dizer que o gestor só dava moral a “bunda mole”, o democrata rebateu. [Leia mais...]

[Neto rebate Kannário: ‘Precisa se informar melhor antes de falar’ ]
Foto : Max Haack/ Secom PMS

Por Alexandre Galvão,Matheus Morais e Laura Lorenzo no dia 13 de Fevereiro de 2018 ⋅ 13:39

Era uma vez o bom relacionamento entre o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o cantor-vereador Igor Kannário (PHS). Depois do cantor dizer que o gestor só dava moral a “bunda mole”, o democrata rebateu.
 
Nesta terça-feira (13), à imprensa, Neto disse que Kannário precisa “se informar melhor antes de falar”.

“O vereador cometeu um erro, dando a entender que a prefeitura esta trazendo atrações de fora. Pelo contrário, eu estabeleci como regra, diferente do governo do Estado, só contratar atrações da Bahia. Nós não gastamos um centavo com atrações de fora. Então o vereador precisa se informar melhor antes de falar”, disse.

Perguntado sobre como diminuir a confusão durante a passagem da pipoca do Kannário, o prefeito disse que vai ver como nos próximos anos este fator pode ser ajustado. “Ontem foi mais confuso que nos anos anteriores. Até 2017 tinha sido tudo bem. Ontem foi muito confuso, muita gente, muita dificuldade para andar. O relato que eu tenho é que foram 40 min apenas para passar aqui no Campo Grande”, disse.

Comentarios

Notícias relacionadas

[Doleiro dos doleiros quer acordo para não ser preso ]
Política

Doleiro dos doleiros quer acordo para não ser preso 

Por Metro1 no dia 24 de Junho de 2018 ⋅ 15:00 em Política

“Dario está aberto e quer falar tudo o que sabe, mas não quer ter a faca no pescoço”, diz José Marcondes de Moura, advogado brasileiro de Messer

[Defesa de Lula rebate afirmação de Moro ao STF]
Política

Defesa de Lula rebate afirmação de Moro ao STF

Por Metro1 no dia 23 de Junho de 2018 ⋅ 16:30 em Política

Os advogados de Lula argumentam que a “indisposição” de Moro para cumprir a decisão da 2ª Turma da Corte ressalta a “constante afronta” ao STF