Política

Banco Central bloqueia R$ 864 mil de Delfim Netto

O Banco Central do Brasil (Bacen) anunciou hoje o bloqueio de R$ 864 mil de contas particulares e de empresas do ex-ministro Antônio Delfim Netto. A decisão ocorre após o bloqueio determinado pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, de R$ 4,4 milhões. [Leia mais...]

[Banco Central bloqueia R$ 864 mil de Delfim Netto]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 13 de Março de 2018 ⋅ 17:20

O Banco Central do Brasil (Bacen) anunciou hoje o bloqueio de R$ 864 mil de contas particulares e de empresas do ex-ministro Antônio Delfim Netto. A decisão ocorre após o bloqueio determinado pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, de R$ 4,4 milhões.

Segundo o Bacen, o cumprimento da ordem ocorreu de forma parcial por conta de insuficiência de saldo. O valor determinado por Moro é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões, que teria sido destinada a Delfim nas obras da usina de Belo Monte. O ex-ministro foi alvo da 49ª fase da Lava Jato, batizada de Buona Fortuna, deflagrada na semana passada.

Comentarios

Notícias relacionadas

[Bolsonaro decide fugir de debates na TV no primeiro turno]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Bolsonaro decide fugir de debates na TV no primeiro turno

Por Metro1 no dia 22 de Junho de 2018 ⋅ 20:00 em Política

Sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa pelo Palácio do Planalto, o deputado federal tem liderado todas as pesquisas de intenção de votos.

[Fachin arquiva pedido de liberdade de Lula]
Política

Fachin arquiva pedido de liberdade de Lula

Por Metro1 no dia 22 de Junho de 2018 ⋅ 19:31 em Política

"Verifico a inadmissão superveniente do aludido recurso excepcional, providência que acarreta a alteração do quadro processual", justificou ministro do STF

[Justiça homologa delação de Antonio Palocci]
Política

Justiça homologa delação de Antonio Palocci

Por Metro1 no dia 22 de Junho de 2018 ⋅ 17:40 em Política

Ex-ministro foi condenado pelo juiz Sergio Moro em junho do ano passado a 12 anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva