Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

ʹPresunção de inocência vale pro Lula, pro José e pro Pedroʹ, diz Requião

O senador Roberto Requião (MDB-PR) saiu em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e criticou o processo de julgamento que corre no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o habeas corpus do petista. De acordo com o parlamentar, a questão envolve uma acusação que não possui base legal. [Leia mais...]

[ʹPresunção de inocência vale pro Lula, pro José e pro Pedroʹ, diz Requião]
Foto : Pedro França/Agência Senado

Por Matheus Simoni e Alexandre Galvão no dia 04 de Abril de 2018 ⋅ 08:32

O senador Roberto Requião (MDB-PR) saiu em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e criticou o processo de julgamento que corre no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o habeas corpus do petista. De acordo com o parlamentar, a questão envolve uma acusação que não possui base legal.

"Nem eu estou acima da lei, nem você, nem prefeito, nem o governador. Mas também não estamos abaixo da lei. Essa condenação do Lula é muito estranha. Dizem que ele recebeu um apartamento. Eu acho que não. Que os empreiteiros queriam dar o apartamento, não tenho dúvida", afirmou Requião, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole.

Questionado sobre a legitimidade da investigação contra Lula, o senador diz que acredita na presunção de inocência. "Lula pode ser julgado, mas a Constituição fala de presunção de inocência. Isso vale pro Lula, pro José, pro Pedro, pra todo mundo. Pode ser mudado isso? Pode. Eu mesmo, há dois anos, fiz um projeto apresentando isso. Com a presunção de inocência, nunca mais teve uma sentença transitada em julgado. Eu fiz um projeto e está parado há dois anos. Quem muda isso é o Congresso e não um promotor que fez concurso anteontem e está em jejum e orando agora", declarou, sem citar o nome do procurador da Força-Tarefa da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol, que disse que estaria "em jejum, oração e torcendo pelo país".

Notícias relacionadas