Política

Primeira-dama de Minas Gerais é suspeita de manter empresa de fachada

A Polícia Federal investiga a mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, a jornalista Carolina de Oliveira Pereira, por suspeita de manter empresa usada pela organização do empresário Benedito de Oliveira, um dos presos ontem na Operação Acrônimo. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução

Por Juliana Almirante no dia 31 de Maio de 2015 ⋅ 19:04

A Polícia Federal investiga a mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, a jornalista Carolina de Oliveira Pereira, por suspeita de manter empresa usada pela organização do empresário Benedito de Oliveira, um dos presos ontem na Operação Acrônimo. Um dos relatórios da operação aponta que a Oli Comunicação e Imagens, propriedade de Carolina, seria apenas uma empresa de fachada.

A empresa teria sido usada pelo grupo de Benedito para movimentação financeira indevida. O Ministério Público Federal já pediu à Justiça Federal busca e apreensão de documentos em endereços da mulher do governador de Minas Gerais. Antes de casar com Fernando Pimentel, Carolina trabalhava como assessora de imprensa do petista no Ministério do Desenvolvimento. O governo de Minas Gerais informou que não é objeto de investigação neste processo. Em nota, a primeira-dama afirmou que ficou surpresa com a operação de busca e apreensão e que a própria investigação servirá para os devidos esclarecimento. A Operação Acrônimo apura um esquema de montagem de empresas para lavar dinheiro.

Comentarios

Notícias relacionadas