Política

Lúcio critica governo Rui: "Não tem projeto indo para a AL-BA"

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) avaliou, em entrevista à Rádio Metrópole, que o governo Rui Costa (PT) pode ser avaliado conforme a dificuldade de relação entre o Executivo e o Legislativo. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Juliana Almirante no dia 01 de Junho de 2015 ⋅ 09:01

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) avaliou, em entrevista à Rádio Metrópole, que o governo Rui Costa (PT) pode ser avaliado conforme a dificuldade de relação entre o Executivo e o Legislativo. “A gente pode tirar isso pela produção da AL-BA (Assembleia Legislativa da Bahia). O único projeto aprovado foi o do aumento do funcionalismo, não tem nenhum projeto indo para lá. Isso por conta da insatisfação que Marcelo Nilo falou aqui no seu programa e foi manchete política”, disse Lúcio.

O presidente da Alba, Marcelo Nilo, disse à Metrópole, na semana passada, que o governo “politicamente não existe” e apontou crise na Alba por conta da falta de diálogo com Rui.

Lúcio também critica a gestão do governador, que tem apenas cinco meses de mandato. O peemedebista aponta a falta de um programa estruturante para o governo Rui Costa. “Rui está vivendo de fazer viagem para o interior para inaugurar programas antigos. Ele já anunciou qual o projeto estruturante do seu governo?”, afirmou.

Notícias relacionadas

[STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa]
Política

STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa

Por Matheus Simoni no dia 21 de Setembro de 2018 ⋅ 14:40 em Política

Condenação se deu por causa de irregularidades na contratação da Fundação Humanidade Amiga (Fhunami), feita no período em que petista foi prefeito em Camaçari

[Alckmin sobe tom contra Bolsonaro em propaganda eleitoral]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Alckmin sobe tom contra Bolsonaro em propaganda eleitoral

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Setembro de 2018 ⋅ 09:20 em Política

Campanha do tucano atacou proposta de Paulo Guedes e associou polarização à transformação do Brasil em uma "nova Venezuela"