Política

Defesa do goleiro Bruno pede progressão para o regime semiaberto

O advogado Fábio Gama garante que o cliente já tem o tempo necessário para a ida ao semiaberto

[Defesa do goleiro Bruno pede progressão para o regime semiaberto]
Foto : Divulgação

Por Alexandre Galvão no dia 25 de Setembro de 2018 ⋅ 10:00

A banca de defesa do ex-goleiro Bruno, acusado de matar e sumir com o cadáver de Eliza Samúdio, ingressou com pedido de progressão de pena para o regime semiaberto com base em cálculos de tempo de estudo e trabalhos feitos pelo detento, dentro do sistema prisional, que reduziriam o período de prisão do ex-atleta. Bruno está preso em Varginha, no sul de Minas Gerais.

O ex-esportista foi preso em 2010 e em seguida condenado por homicídio triplamente qualificado. A pena aplicada foi superior a 20 anos e nove meses de prisão. Para ter acesso ao regime semiaberto, o ex-atleta precisaria cumprir sete anos e seis meses da pena, depois de aplicadas atenuações, por ser réu confesso.

O detento já cumpriu mais de oito anos, mas uma falta grave dentro do sistema prisional impediu a migração de regime. O advogado de Bruno, Fábio Gama, garante que o cliente já tem o tempo necessário para a ida ao semiaberto.

Notícias relacionadas