Política

Ministro do TSE nega pedido do PT para apagar publicação de Olavo de Carvalho

Em uma das mensagens, o escritor sugere que o petista defende o incesto em seu livro intitulado ‘Desorganizando o Consenso'

[Ministro do TSE nega pedido do PT para apagar publicação de Olavo de Carvalho]
Foto : Mauro Ventura

Por Matheus Simoni no dia 15 de Outubro de 2018 ⋅ 19:00

O ministro Luís Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou hoje (15) o pedido da coligação de Fernando Haddad (PT) para remover 21 postagens no Facebook do filósofo Olavo de Carvalho. Em uma das mensagens, o escritor sugere que o petista defende o incesto em seu livro intitulado ‘Desorganizando o Consenso’.

“Estou lendo um livrinho do Haddad, onde ele defende a tese encantadora de que para implantar o socialismo é preciso derrubar primeiro o tabu do incesto. Kit gay é fichinha. Haddad quer que os meninos comam suas mães”, diz a postagem, que foi apagada por ele horas depois.

De acordo com a coligação de Haddad, Olavo de Carvalho ataca o Partido dos Trabalhadores e o candidato do PT à Presidência da República com "informações inverídicas, difamatórias e injuriantes", "constituindo-se em um verdadeiro manifesto político que agride o partido representante, sem qualquer possibilidade de contraditório, contraponto ou debate"

Para o ministro, o caso está inserido dentro da liberdade de expressão e a atuação da Justiça Eleitoral em relação a conteúdos divulgados na Internet deve ser realizada com a menor interferência possível.

“Embora a publicação veiculada apresente teor ofensivo ou negativo, exterioriza o pensamento crítico do representado acerca de uma obra de autoria do candidato, de modo que a liberdade de expressão no campo político-eleitoral abrange não só manifestações, opiniões e ideias majoritárias, socialmente aceitas, elogiosas, concordantes ou neutras, mas também aquelas minoritárias, contrárias às crenças estabelecidas, discordantes, críticas e incômodas”, escreveu Salomão.

Notícias relacionadas