Política

'Se Bolsonaro não se comportar, teremos outro impeachment', avisa filósofo

Para José Arthur Giannotti, a social-democracia saiu "inteiramente destruída" da eleição deste ano

['Se Bolsonaro não se comportar, teremos outro impeachment', avisa filósofo]
Foto : Divulgação

Por Rodrigo Daniel Silva no dia 19 de Outubro de 2018 ⋅ 11:39

O filósofo José Arthur Giannotti disse, em entrevista à Rádio Metrópole, que, se o presidencial Jair Bolsonaro (PSL) não seguir as regras democráticas, o Brasil corre o risco de ter o terceiro impeachment na história. O primeiro foi com Fernando Collor na década de 1990 e o segundo com Dilma Rousseff (PT) em 2016.

"Se ele não se comportar de acordo com as regras democráticas, nós já estamos craques em impeachment, teremos outro impeachment. Neste caso, muito mais grave porque vai pegar o vice. Aí vamos ter que refazer o sistema presidencial", disse.

O vice de Bolsonaro é o general Mourão (PRTB). Para Giannotti, a social-democracia saiu "inteiramente destruída" da eleição deste ano. "Não só o PSDB, [mas também] os que giravam em torno como o PPS. Se estrepou por cair em uma política extremamente regional e assistencialista, sem um grande projeto para o desenvolvimento brasileiro", avaliou.

O filósofo acredita que Bolsonaro vai vencer Fernando Haddad (PT) no segundo turno do pleito. Para ele, o PT não seria uma solução para a crise brasileira. "A política [do PT está] totalmente desmoralizada. Vamos resolver o problema [do Brasil] a partir da renovação do Congresso. E também da renovação do pensamento nosso que está inteiramente esclerosado por um esquerdismo que não entende o mundo moderno", avaliou.

Notícias relacionadas